Dilma in Rio

A despeito da baixa popularidade e da cassação do mandato, que considera um ‘golpe’ parlamentar, a ex-presidente da República Dilma Rousseff está disposta a não se aquietar no Rio de Janeiro. “Ela quer passear, estudar”, revela Carlos Lupi, ex-ministro e presidente do PDT, que passou os últimos dias com ela em Brasília. A amigos, Dilma diz que pretende testar sua popularidade, sem medo, em caminhadas na Orla, pedalar na Niemeyer, estudar e dar palestras a convites nas universidades.

Escoltada
Não será de imediato. Dilma espera dificuldade nas primeiras semanas no Rio, tamanho o assédio, mas terá três seguranças cedidos pela PF, por direito de ex-presidente.

Dose dupla
Renan Calheiros é aliado de Dilma e adversário de Temer. Ao idealizar o ‘fatiamento’ que a livrou da inelegibilidade, acertou os dois. Mostrou quem manda no País, por ora.

Na gaveta
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sentou em cima da denúncia contra o deputado federal Marco Feliciano por suposto crime de estupro em Brasília.

OAB vai pra cima
Do presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, sobre o ‘fatiamento’ não previsto na Constituição que beneficiou Dilma Rousseff, que deve ser alvo de ação da Ordem: “A mesma lei que, hoje, recai sobre o PT já recaiu sobre Fernando Collor, adversário ferrenho do PT. Todos são iguais perante a lei e a aplicação das regras deve ser igual”.

A prova
Entidade que também protocolou pedido de impeachment da então presidente Dilma, será inevitável a OAB se manifestar. Não só por isso. Caiu num caso delicado. Na prova do exame de Ordem de 2009, feito pelo Cesp, uma questão crava que a perda de cargo de presidente, conforme a Constituição, tem pena cumulativa de inelegibilidade.

Ou seja
Se Lamachia em nome do Conselho federal da OAB fazer valer o discurso, tem respaldo constitucional para acionar o STF. Caso a Ordem defenda a validade do ‘fatiamento’, a questão de 2009 fica passível de ser anulada e causar confusão.

Ministro do Twitter
Geddel Lima, chefe da Secretaria de Governo, virou o Ministro do Twitter. No microblog é o único da categoria que defende Michel Temer – e bate boca com leitores.

É muita M.
Para quem se assustou com o Cagado (PR), candidato a vereador em Mirante da Serra (RO), não sabia que na vizinha Campo Novo (RO) disputa o Sobre Cu (PPS).

Desceu amargo
Após seis anos de Poder, Dilma abriu só ontem o Palácio da Alvorada para um brunch com movimentos feministas. Nos oito anos, Lula manteve o programa de rádio ‘Café com o Presidente’. Destituída, Dilma lançou o ‘Café sem a Presidenta’.

LRF detona
Pesquisa feita pela União dos Prefeitos da Bahia revelou que 62 alcaides desistiram da reeleição – 20% dos prefeitos do Estado. Não só pela falta de dinheiro para campanhas – efeito da crise e da nova lei. Principalmente pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Comédia de Cassel
O ator francês Vicent Cassel foi curtir um show de Caetano Veloso perto da Ópera de Paris e divulgou um self-video no Instagram. Causou celeuma nas redes. Para militantes da esquerda, ele apoiava a manifestação ‘Fora Temer’ no local. Para os defensores do Governo, o artista apenas foi curtir um samba & MPB e não sabia do clima político.

Ponto Final
A bem da moral e do respeito ao cidadão, os Tribunais Regionais Eleitorais deveriam proibir certos nomes pejorativos nas urnas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *