Quase 50% dos jovens estão indecisos em Aracruz

Quando a pesquisa Rede Vitória/ Futura de intenção de voto espontânea em Aracruz é analisada de acordo com as características do eleitor, vemos que 49,1% dos jovens entre 16 e 24 quatro anos declararam que ainda não sabem em quem vão votar nas eleições deste ano. O percentual está muito cima se comparado aos eleitores de 25 a 34 anos, que têm 26,1% de indecisos. Já para quem tem acima de 60 anos, o percentual de indecisos também é alto e bate nos 41,4%.

Quando o cruzamento mostra dados referentes a classe social, Dr. Coutinho (Cidadania) tem a preferência de 18% dos eleitores das classes D/E. Enquanto isso, seu adversário Alcântaro (PSD) tem 21,7% das classes A/B. Já quando os eleitores são divididos por religião, 22,2% dos católicos disseram que vão votar no candidato do Cidadania e 18,8% dos evangélicos afirmaram voto no candidato do PSD.

Nos cruzamentos das informações da pesquisa estimulada, quando são apresentados os nomes dos candidatos aos eleitores entrevistados, 33,6% de quem tem Ensino Fundamental disseram que vão votar em Dr. Coutinho. Já 26,9% dos que têm Ensino Superior afirmaram que vão votar em Alcântaro. A disputa fica mais acirrada entre eleitores de Ensino Médio: 27% disseram que preferem o candidato do Cidadania e 27,6% apontaram preferência pelo nome do PSD.

Nos cruzamentos das informações sobre faixa etária, Dr. Coutinho tem a preferência dos mais velhos. O candidato vence o rival do PSD nas faixas de 35 a 44 anos (23,3% contra 17,8%), 45 a 59 anos (30,5% contra 18,9%) e 60 anos ou mais (31,4% contra 15,7%). Já Alcântaro bate o rival nas faixas de 16 a 24 anos (32,1% a 26,4%) e 25 a 34 anos (32,6% contra 25%).

Quando o assunto é rejeição, Jones, do Solidariedade, é rejeitado por nada menos do que 50% dos eleitores da classe C. O candidato também é rejeitado por 41% das classes D e E. Sua rejeição só não é maior que os rivais na faixa das classes A/B, em que Alcântaro tem 34,8% dos eleitores e o concorrente do Solidariedade tem 26,1%.

Jones também tem altos índices de rejeição entre os eleitores de 25 a 34 anos, faixa em que o percentual chega a 56,5%. Ele também é o mais rejeitado entre os católicos, com índice de 43,2% e entre os evangélicos, com percentual que chega a 40,6%.

Na análise da rejeição, as somatórias podem passar de 100% porque cada entrevistado poderia responder o nome de mais de um candidato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *