Análise: sem o atual prefeito no páreo, figuras tradicionais ganham espaço em Colatina

O cenário da corrida eleitoral em Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, foi o tema do programa Eleições 2020, no Folha Vitória, na manhã desta quinta-feira (29). A edição teve a mediação do jornalista Edu Kopernick. Assista na íntegra.

A segunda pesquisa eleitoral no município revelou que o ex-prefeito Guerino Balestrassi (PSC) continua na liderança nas intenções de voto, com 37,3% na estimulada. Em seguida vêm Luciano Merlo (Patriota) com 17% e Maricélis (Cidadania) com 10,3%.

Para os analistas, o cenário aponta para consolidação do ex-prefeito como favorito. “Deveríamos ter uma mudança maior em um segundo colocado para que a eleição fosse mais competitiva”, comenta o sócio-diretor da Futura Inteligência, José Luiz Orrico.

A queda no número de indecisos pode ter beneficiado Guerino Balestrassi, que se manteve na primeira colocação nas intenções de voto.

“A medida que o pleito se desenvolve, temos cada vez menos eleitores indecisos ou que não conheçam os candidatos. Os números mostram que Guerino continua em uma situação bastante confortável”, afirma a especialista em política, Gabriela Cuzzuol.

Gabriela também destaca que a vantagem do líder nas pesquisas o deixa em uma situação cômoda. “O cenário de Colatina é diferenciado porque o atual prefeito, que é absurdamente popular, não está participando. Isso coloca os demais candidatos em uma situação um pouco mais confortável”, afirma.

Para Gabriela, os candidatos que buscam a primeira colocação, estão bem avaliados em determinados setores da sociedade. “Luciano Merlo é bastante ligado a um discurso mais polarizado no campo da direita, enquanto Genivaldo tem um diálogo mais ligado à esquerda. Já Maricélis levanta a pauta da educação como prioritária. Então cada candidato está procurando eleitores nichados“, comenta.

Eleição sem Meneguelli

Os analistas convidados afirmaram que a ausência do atual prefeito de Colatina, Sérgio Meneguelli (MDB) não disputando reeleição e nem apoiando nenhum candidato, altera o cenário eleitoral, favorecendo personagens conhecidos na cidade.

“A não participação de Sérgio Meneguelli fez toda diferença. Ele optou não apenas por não disputar, como gravou um vídeo anunciando que não apoiaria nenhum candidato. Essa eleição é muito diferente por conta da pandemia e figuras já conhecidas têm vantagem”, diz Gabriela.

O especialista em marketing político Husdon Siqueira também analisou a ausência do prefeito. “Meneguelli hoje é o principal ator político de Colatina e abriu mão da reeleição. Os números mostram uma aprovação muito consistente da gestão do atual prefeito e isso muda o cenário”, Hudson.

Rejeição

Quando os entrevistados foram perguntados sobre em quem não votariam em nenhuma hipótese, Genivaldo Lievore (PT), aparece com 21,5%; Guerino Balestrassi (PSC), tem 17%; e Maricélis (Cidadania) é a terceira em rejeição, com 11,3%.

“Não existe nenhum candidato impossibilitado de conquistar votos. A maior rejeição, de Genivaldo, me parece mais uma rejeição ao partido do que ao candidato em si. Mas de qualquer forma, não há uma rejeição em Colatina que possa impedir uma eleição”, analisa Orrico.

Assista ao programa na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *