Análise: oposição aproveita rejeição de prefeito em São Mateus

Fechando o segundo ciclo de pesquisa eleitorais Rede Vitória/Futura nos maiores municípios do Espírito Santo, os eleitores de São Mateus, no Norte do Estado, acompanharam a análise do segundo levantamento. O programa Eleições 2020, no Folha Vitória, foi ao ar nesta sexta-feira (6). Assista na íntegra.

A segunda pesquisa revelou que o atual prefeito Daniel Santana (PSDB) alcançou 34,8% de intenções de voto no levantamento estimulado. Em seguida aparece Carlinhos Lyrio (Podemos), com 19%, e na terceira colocação está Ferreira Júnior (Solidariedade), com 15,8%.

“Podemos dizer que o prefeito talvez já tenha atingido o teto de intenção de voto. Se tivéssemos menos candidatos, poderíamos ter uma competição mais acirrada mas São Mateus tem dez candidatos. Nesse momento, dois parecem ter um porte forte”, afirma o sócio-diretor da Futura, José Luiz Soares Orrico.

O responsável técnico pela pesquisa também ponderou que é improvável uma mudança no atual cenário. “Só teria chance de ameaçar se os concorrentes do atual prefeito tivessem perdido voto, o que ainda não aconteceu e é muito difícil de ocorrer”, completa Orrico.

Programa foi ao ar nesta sexta-feira (6)

Para a comentarista de política Gabriela Cuzzuol, uma gestão assistencialista pode ter impulsionado o atual prefeito.

“Ele é um prefeito de muitas entregas assistencialistas, principalmente para a população mais vulnerável. Daniel Santana também está à frente da máquina pública, o que dá vantagem por causa da ação do Estado no meio da pandemia. Os candidatos que estão nessa posição têm vantagem”, pondera.

Gabriela avalia que a situação de Santana é ‘confortável’. “Em virtude do tiro curto da campanha me parece que a situação do atual prefeito esteja confortável”, afirma.

Orrico chama atenção que o atual prefeito pode ter chegado ao teto de intenção de votos, já que a variação entre as duas pesquisa está dentro da margem de erro. “A intenção de votos espontânea é igual a estimulada. Isso indica que ele chegou ao teto de intenções de voto”, completa.

Com um calendário eleitoral mais enxuto por causa da pandemia, Gabriela acredita que o tempo exíguo limita a possibilidade de candidatos da oposição alavancarem nas intenções de voto.

“Se tivéssemos uma campanha mais longa, eles teriam mais tempo para ganharem robustez e tornar a eleição mais competitiva. O Daniel Santana se comunica muito bem com o eleitorado mais vulnerável que é numericamente muito superior em todos os municípios”, lembra.

Rejeição

Quando perguntado em qual candidato não votaria em nenhuma hipótese, 29,8% dos eleitores de São Mateus responderam o nome do prefeito Daniel Santana. Logo depois vem Eneias (PT) e Carlinhos Lyrio (Podemos), ambos com 15% de rejeição.

“Como se tem dez candidatos, estar na faixa dos 30% de rejeição não é nenhum impeditivo para que o Daniel Santana possa ser eleito. Também na rejeição a situação do prefeito é bastante confortável”, afirma Orrico.

Gabriela também comentou os números. “Existe uma margem de crescimento na rejeição. Se pensarmos que esta é uma eleição pulverizada, os números mostram uma insatisfação da população com a atual gestão e esses votos podem ser disputados pelos candidatos da oposição”, completa.

Assista ao programa na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *