Análise: campanha “morna” chancela reeleição em São Mateus

Os eleitores de São Mateus, no Norte do Espírito Santo, acompanharam a análise da última pesquisa eleitoral Rede Vitória/Futura no município. O programa Eleições 2020, no Folha Vitória, foi ao ar na manhã desta quinta-feira (12).

O prefeito Daniel Santana (PSDB), chega à reta final com favoritismo nas urnas. Levando em consideração os votos válidos, Santana alcançou 42,3% das intenções de voto, enquanto o segundo colocado, Carlinhos Lyrio (Podemos) tem 24,8%. Na sequência aparece Ferreira Junior (Solidariedade), com 17,5%.

“Além de curta, a eleição em São Mateus se mostra fria, caminhando num ritmo muito lento. O processo eleitoral se mostrou constante, sem alterações. Como não tem ninguém que empolgou o eleitor, os outros nove candidatos captam cada um pouco e o Daniel fica em uma situação muito confortável”, afirma o sócio-diretor da Futura, José Luiz Orrico.

Programa foi ao ar nesta quinta-feira (12)

A comentarista de política Gabriela Cuzzuol, lembra que mesmo o atual prefeito tendo histórico de ações judiciais questionando sua atuação, as questões não alteraram a preferência do eleitor.

“Daniel Santana tem uma carreira política marcada por muitos escândalos na Justiça, mas um estudo aponta que a percepção das pessoas acerca da gestão se sobrepõe à bandeira da corrupção e nas análises dos pleitos do Espírito Santo nós vemos inúmeros candidatos que tiveram envolvimento em escândalos relacionados à corrupção e manifestam nas pesquisas intenções de voto muito expressivas”, argumenta.

Rejeição

Quando os entrevistados foram perguntados sobre quais candidatos mais rejeitam, o nome de Daniel Santana está na frente. 28,3% dos entrevistados disseram que não votariam nele em nenhuma hipótese. Em seguida vem Eneias, que tem 16,8% de rejeição e Carlinhos Lyrio que fica com 14%.

“O saldo de Daniel Santana, quando se diminui o percentual de intenção de voto com a rejeição, ainda é positivo. E os oponentes dele tem mais rejeição do que intenção de voto, o que coloca o atual prefeito numa situação confortável. Se não acontecer um fato extraordinário, muito difícil alguma mudança na rejeição”, afirma José Luiz Orrico.

Para Gabriela Cuzzuol, o fato dos candidatos serem conhecidos em São Mateus, altera significativamente os índices de rejeição.

“Em São Mateus, a maioria dos candidatos são muito conhecidos pela população e assim há uma tendência de aumento nas rejeições e não houve mudanças bruscas na rejeição entre uma pesquisa e outra”, completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *