Análise: figuras tradicionais ganham espaço em Aracruz

A última pesquisa eleitoral Rede Vitória/Futura em Aracruz, no Norte do Espírito Santo, foi o assunto do programa Eleições 2020, no Folha Vitória, nesta sexta-feira (13). Assista ao programa na íntegra.

No terceiro levantamento, Doutor Coutinho (Cidadania) aparece com 39,6% das intenções de voto. Em seguida, aparece Alcântaro (PSD), com 29,7% dos votos válidos. Na sequência, estão Major Wallace Vieira (PRTB) com 11,5%.

“Os dois candidatos estão disputando desde a primeira pesquisa com pequena variação do Alcântaro mas tudo dentro da margem de erro. Essa eleição parece que começou decidida. O que me chama atenção é que o atual prefeito perdeu intenção de voto. Ele terá muita dificuldade para permanecer na política”, afirma o sócio-diretor da Futura, José Luiz Orrico.

Para a comentarista de política Gabriela Cuzzuol, o fato do atual prefeito Jones (Solidariedade) estar em quarto lugar mostra que a avaliação da população com a gestão não é positiva.

“A avaliação da prefeitura não é boa. O índice de ótimo e bom não é expressivo, mas regular e péssimo eram muito superiores. Nos outros municípios os prefeitos que tentam se reeleger estão na primeira colocação, o que não acontece em Aracruz. Existe uma manifesta insatisfação com a prefeitura e por isso o atual prefeito não deslanchou”, afirma.

Programa foi ao ar nesta sexta-feira (13)

O mestre em sociologia política Hudson Siqueira, fala sobre o número de indecisos em Aracruz mesmo a poucos dias da eleições.

“Chama atenção quando você pega a intenção espontânea e você tem um terço da população indecisa. Isso se dá por dois fatores principais: primeiro essa conversa sobre quem será o próximo prefeito e segundo a população de Aracruz tem uma população mais envelhecida e o debate sobre a pandemia, sobre ir ou não votar, também é determinante”, analisa.

Orrico destaca que Aracruz teve uma campanha morna. “A eleição em alguns municípios, principalmente no interior do Estado, parece que começaram com o desfecho já certo. Em algumas regiões a campanha se mostrou bastante morna”, completa.

Gabriela ressalta que não há políticos outsiders concorrendo em Aracruz. “Este é o pleito do tradicionalismo. Não há muitas novidades nem novas lideranças políticas emergindo. Em Aracruz, todos os candidatos são figuras muito tradicionais com trajetórias políticas consistentes”, conclui.

Assista ao programa na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *