PT foi o partido que mais ganhou filiados em 2 anos no ES

O Partido dos Trabalhadores foi o partido que mais ganhou filiados em dois anos no Espírito Santo. Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), o PT pulou de 24.522 filiados, em junho de 2020, para 28.098, em junho deste ano. São 3.576 petistas a mais em solo capixaba, o que representa um aumento de 14,58% nas filiações.

Nenhum outro partido cresceu como o PT. A título de comparação, a segunda legenda que mais ganhou corpo no Estado está seis pontos percentuais abaixo da sigla de Lula. O Solidariedade aumentou seus filiados em 8,3% (saiu de 4.073 para 4.411) e o PCB cresceu 5,37% (de 335 para 353).

Chama a atenção que, embora o Espírito Santo seja visto como um estado mais conservador, mais alinhado a políticas de direita, isso não se mostra na participação do eleitor na política partidária, uma vez que as três siglas que mais cresceram nos últimos dois anos são de esquerda.

Além destas, outras sete siglas apresentaram aumento no número de adeptos: Rede (3,84%), PCO (3,03%), Republicanos (1,46%), Psol (0,90%), PSB (0,39%) Podemos (0,26%) e PMB (0,22%). O Unidade Popular pelo Socialismo (UP), que não tinha filiados em 2020, agora tem 10.

Mas, levando-se em conta todos os partidos representados no Estado, o número de filiados caiu. Hoje, há 328.346 pessoas ligadas a alguma agremiação partidária – 9.213 (2,73%) a menos que o registro de dois anos atrás: 337.559.

Dos 32 partidos com representação no Estado, 20 diminuíram de tamanho. O União Brasil, por exemplo, não conseguiu segurar os 14.898 filiados do DEM e os 10.157 filiados do PSL, registrados em 2020. Hoje, o União conta com 15.767 filiados, 37,07% a menos que a soma de DEM e PSL (25.055). O segundo partido que mais perdeu filiados foi o Novo. Em 2020, ele tinha 800 filiados no Estado, agora tem 563, uma queda de 29,63%.

O Patriota foi o único partido que manteve o mesmo número de filiados nos dois anos: 6.928.

Baixo desempenho das siglas de Bolsonaro e Casagrande

Encontro do PL

Outra sigla que também perdeu filiados no Estado foi o PL, partido do presidente Bolsonaro. A queda foi de 0,68%, uma vez que em 2020 o PL tinha 12.390 filiados e agora tem 12.306. São 84 filiados a menos. Embora a sigla tenha ganhado muitos parlamentares em âmbito nacional, ao abrigar o Presidente, o mesmo movimento não se viu em sua base capixaba.

Havia, principalmente entre os bolsonaristas, uma expectativa de que o PL se tornasse um dos maiores partidos do Estado. Mas, no ranking, o PL ocupa a 10ª posição.

O desempenho do PSB, partido do governador Renato Casagrande, também deixou a desejar. O partido cresceu apenas 0,39% em dois anos – de 21.848 para 21.933, uma diferença de 85 novos socialistas. Normalmente, o partido do governador sempre atrai mais filiados, parlamentares e prefeitos durante a gestão. Ainda assim, o PSB ocupa a sexta posição no ranking.

Mesmo capengando, MDB mantém o 1º lugar

Mesmo passando por diversas dificuldades internas, com brigas que foram parar na Justiça, sem chapas de peso para disputar as eleições deste ano, com desfiliações de nomes históricos da legenda, o MDB continua sendo o maior partido do Estado em número de filiados. São 36.927 emedebistas espalhados pelo solo espírito-santense, ou seja, 11,25% com relação ao total de todos os filiados no Estado.

O número é 1,83% menor que em 2020, quando a sigla tinha 37.617 integrantes. De lá pra cá perdeu 690 pessoas. O partido é presidido pela senadora Rose de Freitas que quer levar a sigla para apoiar Casagrande à reeleição – em troca, claro, do apoio dele à sua também pré-candidatura à reeleição.

O segundo maior partido é o PDT, com 29.371 filiados. Ele é seguido pelo PT, com 28.098; pelo PP, com 27.177 e em quinto lugar está o PSDB, com 25.324 tucanos filiados.

 

Veja, abaixo, a listagem completa dos partidos no ES: