Aos 26 anos, ex-miss Brasil é nomeada secretária adjunta no RS

Política

Aos 26 anos, ex-miss Brasil é nomeada secretária adjunta no RS

Redação Folha Vitória

Porto alegre - A miss Brasil de 2012, Gabriela Markus, de 26 anos, deixou as passarelas para trás e vai trabalhar pela divulgação das belezas naturais e culturais do Rio Grande do Sul e atração de visitantes ao Estado como secretária adjunta de Turismo, Esporte e Lazer do governo José Ivo Sartori (PMDB). A nomeação para o cargo, feita na segunda-feira, 12, surpreendeu, provocou polêmica e também piadas nas redes sociais, mas, segundo fontes do governo gaúcho, não está ligada à participação em concursos de beleza e desfiles de moda e sim ao trabalho, currículo acadêmico e à militância política da jovem.

Nascida no município de Teutônia, técnica em Administração de Empresas, estudante do oitavo semestre de Engenharia de Alimentos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e prestes a trocar o curso pelo de Políticas Públicas, Gabriela é filha do ex-vereador na cidade natal Wilson Markus e sobrinha do atual prefeito de Paverama Vanderlei Markus (PMDB). Também concorreu a deputada estadual pelo PMDB em 2014 e, com 26.324 votos, conseguiu a quinta suplência do partido na Assembleia Legislativa.

"Desde pequena eu acompanho política, ajudei a distribuir material de divulgação de familiares", recorda a ex-miss. "Crianças que crescem nesse meio entendem mais a necessidade de buscar a política diferente, do bem", prossegue, para revelar o que mais a motivou a se filiar a um partido, concorrer à uma vaga na Assembleia Legislativa e participar da equipe de transição do governo Sartori, período em que se integrou ao grupo que tratava de turismo, esporte e lazer. "Como jovem, eu gostaria de influenciar mais pessoas de minha idade a se interessarem pela política", completa.

Com a convicção de quem não era modelo antes de ser miss e de quem não vai voltar às passarelas, Gabriela aposta tudo em sua nova função e não descarta disputar cargos eletivos novamente no futuro. "Pelo meu perfil, consigo render mais no cargo que exerço agora", afirma, sem, no entanto, detalhar quais são seus planos como secretária adjunta. "A primeira etapa é fazer o que o secretário (Juvir Costella) vem fazendo, conversar com o trade, com os sindicatos, abrir portas para o desenvolvimento na nossa área de atuação".

A secretaria atual é resultante da fusão das três áreas, que tinham as secretarias específicas de Turismo e de Esporte e Lazer no governo anterior. A decisão, tomada por Sartori para enxugar a máquina pública, foi criticada por adversários políticos, que questionaram até a indicação do titular da pasta por falta de experiência nas áreas. Na época, Costella chegou a afirmar que buscaria se cercar de um quadro técnico qualificado.

A secretária adjunta se mostra pronta para as críticas políticas e também para as piadas já surgidas na internet, como a de que, com suas curvas, deveria ser nomeada para o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer). "Prefiro levar mais pelo lado da brincadeira, pelo lado esportivo", esquiva-se a ex-miss. "O que eu preciso agora é me concentrar nas minhas coisas".