Fórum da Liberdade muda perfil dos palestrantes para ampliar debates

Política

Fórum da Liberdade muda perfil dos palestrantes para ampliar debates

Redação Folha Vitória

Porto Alegre - O Fórum da Liberdade, realizado anualmente na capital gaúcha, está se renovando para acompanhar as mudanças da sociedade brasileira. O evento, que costuma reunir nomes de peso para debater temas relacionados ao cenário político, econômico e social da América Latina, quer propor ideias "fora da caixa" e mostrar que conceitos relacionados à liberdade podem ser mais abrangentes do que muitas vezes se imagina.

Para isso, a lista de convidados este ano não vai se restringir a políticos influentes, economistas renomados e empresários de primeiro escalão.

Entre os palestrantes já confirmados estão o presidente da Atlas Economic Research Foundation, Alejandro Chafuen; o economista norte-americano, escritor e professor Donald Boudreaux; o professor do Insper Fernando Schüler; o CEO da Kroton Educacional, Rodrigo Galindo; a CEO da Tomorrow's Lemonade Stand, Kylee Majkowski - uma empreendedora precoce de 10 anos de idade -; e o fundador do Easy Táxi, o brasileiro Tallis Gomes. A lista final será divulgada no final de março. A 28º edição do Fórum da Liberdade ocorrerá nos dia 13 e 14 de abril, no Centro de Eventos da PUCRS, em Porto Alegre.

No ano passado, o fórum recebeu, entre outros nomes, o senador Aécio Neves, o ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco e o presidente do Conselho de Administração da Gerdau, Jorge Gerdau Johannpeter. Nas quase três décadas de existência, o fórum já recebeu nomes como os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula de Silva, o escritor peruano Mario Vargas Llosa, os economistas Armínio Fraga e Henrique Meirelles e o ex-primeiro-ministro espanhol José Maria Aznar.

Na manhã desta segunda-feira, 28, na cerimônia de apresentação do evento, Frederico Hilzendeger, presidente do Instituto de Estudos Empresariais (IEE), que promove o fórum, explicou que a escolha dos participantes é mais do que nunca norteada pela diversidade.

"A gente percebe que a população brasileira vem participando mais intensamente do que acontece no mundo. As pessoas já não recebem pacificamente as notícias. Elas opinam, interagem, reagem. Por isso queremos ouvir diferentes pontos de vista", disse.

Com o tema "Caminhos para a Liberdade", a 28ª edição do evento pretende debater alternativas para os principais problemas enfrentados pelo Brasil e também por outros países. De acordo com os organizadores, devem ser abordados assuntos como a importância da educação, as funções do livre mercado, a formação de sólidas instituições no combate à corrupção e os limites da liberdade de expressão - este último potencializado pelos recentes ataques ao jornal francês Charlie Hebdo.

Outra novidade é o espaço para a interatividade digital. O IEE vai lançar um aplicativo do Fórum da Liberdade, por meio do qual os participantes - e outros internautas interessados nos temas em discussão - poderão ter acesso à programação, histórico dos painelistas e informações de edições anteriores. A ferramenta também servirá para que o público envie perguntas e comentários.

As inscrições para o 28º Fórum da Liberdade estão abertas e podem ser feitas por meio do site. São esperadas cerca de 5 mil pessoas nos dois dias de evento.