Líder do DEM na Câmara diz que encontros de Lula com empresários são 'indevidos'

Política

Líder do DEM na Câmara diz que encontros de Lula com empresários são 'indevidos'

Redação Folha Vitória

Brasília - O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), classificou como "indevidos" os encontros que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, realizaram com emissários de empreiteiros que são alvo da Operação Lava Jato.

"É parte de uma estratégia que visa obstacular e impedir o aprofundamento das investigações. Eu acho que é indevido", afirmou Mendonça ao Broadcast Político.

Conforme revelou nesta sexta-feira, 20, o jornal O Estado de São Paulo, executivos das construtoras envolvidas na Lava Jato pedem intervenção política de Lula para evitar o colapso das empresas. Okamotto recebeu por exemplo João Santana, diretor da Constran, que pediu socorro pelas dificuldades vividas pela companhia. Antes de ser preso pela força-tarefa da Operação Lava Jato, o presidente da OAS, Léo Pinheiro, pediu ajuda a Lula.

Mendonça alegou ainda que as conversas com o ex-presidente "se conectam" com as reuniões que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, manteve com advogados das empresas.

"São coisas que se conectam com a pressão sobre o ministro da Justiça, que recebeu advogados (dos executivos das empreiteiras) fora das agendas oficiais. Há todo um ambiente de pressão sobre o poder Judiciário, seja na primeira instância ou no âmbito do Supremo Tribunal Federal. É uma estrutura sendo movimentada com o intuito de abafar o caso".

PSDB

Para o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG), embora o ex-presidente Lula possa receber quem queira, é preciso ficar atento para possíveis interferências dele no governo. "É possível imaginar o teor da conversa. Todos os empresários ficaram assustados com o desfecho do mensalão, quando os agentes privados tiveram punição maior do que os políticos. Não é difícil imaginar que haja ameaças embutidas. Certamente não foi um ameno chá das cinco".