Líder do PSDB na Câmara diz que demissão de Graça Foster foi tardia

Política

Líder do PSDB na Câmara diz que demissão de Graça Foster foi tardia

Redação Folha Vitória

Brasília - O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), considerou como tardia a saída da presidente da Petrobras, Graça Foster, oficializada nesta quarta-feira, 04, pela própria estatal. Para o tucano, a permanência dela à frente da estatal, após as denúncias de desvios investigadas na Lava Jato, serviu apenas para que ela "limpasse a barra do governo".

A informação da saída de Foster e de outros 5 diretores consta em ofício da estatal à BM&FBovespa, que pediu explicações sobre notícias de mudanças no comando da empresa. A nota, no entanto, não menciona o nome dos demais diretores. No informe, a Petrobras diz que ela e os diretores renunciaram a seus cargos.

"Essa demissão foi tardia. A própria oposição já estava pedindo desde setembro até para que as investigações pudessem fluir. Por que demorou até agora? Porque a presidente Graça Foster cumpriu uma missão para o governo. Ela estava lá para limpar a barra do governo, cumpriu essa missão e a presidente Dilma a está demitindo", afirmou o tucano.

Questionado sobre o que seria exatamente "limpar a barra", Sampaio emendou: "Limpar a barra é você efetivamente não contribuir com provas que possam levar à participação do governo, do PT e de partidos aliados que foram denunciados".

CPI

O líder do PSDB disse também que depois da conferencia das assinaturas pela secretaria-geral da Casa, o número final é de 182 apoios para a instalação de uma CPI para investigar as irregularidades na estatal, 11 a mais do que o definido regimentalmente para a criação de uma comissão de inquérito.

A expectativa dos tucanos é que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), leia o documento em plenário para iniciar o prazo de cinco sessões para a indicação dos integrantes que irão compor a CPI. "O presidente Eduardo Cunha esteve conosco fazendo campanha antes das eleições e nessa oportunidade se comprometeu conosco. Ele disse que jamais seria um empecilho para a instalação da CPI", afirmou o tucano.

Sampaio informou ainda que o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), pediu cópia do requerimento com o pedido da CPI para também coletar assinaturas no Senado e dessa forma realizar uma Comissão Mista com a participação de integrantes das duas Casas.

A proposta elaborada pelo PSDB da Câmara pede a criação de uma CPI para investigar irregularidades na Petrobras entre 2005 e 2015 "relacionados a superfaturamento e gestão temerária" na construção de refinarias no Brasil. A oposição também quer apurar a constituição de empresas subsidiárias e sociedades "de propósito específico pela Petrobras com o fim de praticar atos ilícitos", o superfaturamento e gestão temerária na construção e afretamento de navios de transporte, navios-sonda; além de supostas irregularidades na operação a companhia Sete Brasil e na venda de ativos da estatal na África.