Clima de eleição continua na Assembleia Legislativa do Espírito Santo

Política

Clima de eleição continua na Assembleia Legislativa do Espírito Santo

A conversa entre Sandro Locutor e Hudson Leal em torno da Corregedoria-Geral da Casa poderá render um bom debate. Mas ela deve acontecer antes da eleição

Assembleia Legislativa permanecerá em clima de eleição com disputa de ouvidor-geral e corregedor-geral Foto: Divulgação/Assembleia

A população do Espírito Santo conhecerá na segunda-feira (09) o ouvidor e o corregedor-geral da Assembleia Legislativa. Para Ouvidoria, o deputado Josias da Vitória (PDT) poderá ser candidato único. Já na Corregedoria-geral, a disputa promete ser acirrada. Os deputados Sandro Locutor (PPS) e Hudson Leal (PRP) são os candidatos ao cargo. A eleição deverá acontecer durante a fase da Ordem do Dia na sessão ordinária.

Para o deputado Josias da Vitória, o cargo irá lhe proporcionar a oportunidade de estar em contato direto com a população.

“Pretendo implantar uma Ouvidoria pró-ativa. Pretendemos promover ações alinhadas à vontade da população. Pretendemos promover audiências públicas e visitas técnicas na busca de informações que beneficiem a população”, destacou Da Vitória.

A conversa entre Sandro Locutor e Hudson Leal em torno da Corregedoria-Geral da Casa poderá render um bom debate. Mas ela deve acontecer antes da eleição. Isto porque ambos se propuseram a compor uma chapa única. Resta saber apenas quem irá ceder, já que ambos destacaram o compromisso estabelecido com o deputado Rodrigo Coelho (PT), que foi quem alinhavou e conduziu a reeleição do presidente Theodorico Ferraço (DEM).

“Devo ser indicado pelo bloco. Conversamos com o Gildevan (Fernandes - líder do governo na Ales), mas existe a possibilidade de uma composição”, disse Sandro Locutor.

“Fui o 16º a assinar o bloco de apoio à reeleição do presidente. O cargo de corregedor-geral não tinha ninguém pleiteando o cargo, então, o deputado Dary (Pagung) disse que seria meu”, lembrou Hudson Leal.

A composição de uma chapa única em torno do cargo de corregedor deverá ficar para segunda-feira. 

O vice-corregedor da chapa encabeçada por Locutor é o deputado Gilsinho Lopes (PR), enquanto o vice da chapa de Leal é Rafael Favatto (PEN).

“Meu trabalho será constante. Mas não gostaria de ter muito trabalho porque trabalho significa que tem problemas com deputado. E isso não é bom para a Casa”, destacou Sandro Locutor.

“Fui corregedor de uma autarquia pública federal (Conselho Regional de Medicina) por muitos anos e gostaria de levar essa experiência para o Legislativo”, destacou Hudson Leal.

A Ouvidoria auxilia o cidadão em suas relações com o Legislativo Estadual, funcionando como canal de comunicação direta. O objetivo é que a população colabore, com suas críticas e sugestões, para a melhoria do serviço prestado pelo Poder. 
Já a Corregedoria Geral atua de forma a garantir que os preceitos estabelecidos no Regimento Interno e no Código de Ética e Decoro Parlamentar sejam cumpridos. Age no sentido da preservação da dignidade do mandato parlamentar na Assembleia Legislativa. 

Integram o órgão o corregedor-geral, o vice-corregedor, além de três membros titulares e igual número de suplentes. A eleição dos membros da Corregedoria é feita no Plenário, em processo de votação nominal, para mandato de dois anos, permitida a recondução somente na mesma Legislatura. Para isso é assegurada, tanto quanto possível, a representação proporcional dos partidos e dos blocos parlamentares que participam da Casa.