Líder do PT na Câmara diz que não há ilegalidade na ligação de Dilma para Lula

Política

Líder do PT na Câmara diz que não há ilegalidade na ligação de Dilma para Lula

Redação Folha Vitória

Brasília - O líder do PT na Câmara, Afonso Florence (BA) afirmou que a ligação da presidente Dilma Rousseff para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um "ato estritamente administrativo". O motivo, segundo ele, seria a publicação do cargo no Diário Oficial da União, assim como foi realizado com os outros ministros.

"A presidente decidiu, por força de circunstâncias políticas no País, nomear outros ministros e tomou a providência devida. Fez uma ligação que é límpida, explícita, não há nenhuma ilegalidade", afirmou, dizendo que o único ato que fugiu à normalidade foi o vazamento da gravação.

Florence pediu "serenidade, respeito ao processo legal e que a condução dessa situação tenha paz social". Depois de diversas manifestações contra o governo em plenário na noite desta quarta-feira, que teve sessão encerrada por conturbação, Florence disse que "há ânimos exaltados por parte da oposição".

Nesta noite, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) causou um tumulto na Câmara ao colocar no sistema de som do Plenário da Casa o áudio interceptado do telefonema da presidente Dilma Rousseff ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A oposição reagiu imediatamente com gritos de "renúncia".