Casagrande, deputados capixabas e lideranças partidárias do ES comentam prisão de Temer

Política

Casagrande, deputados capixabas e lideranças partidárias do ES comentam prisão de Temer

Em entrevista, Casagrande lamentou o fato, mas enfatizou a necessidade de aplicação da justiça

Foto: TV Vitória

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) comentou a prisão do ex-presidente da República, Michel Temer, que aconteceu na última quinta-feira (21), em São Paulo. Além de Casagrande, deputados capixabas também falaram sobre o ocorrido.

Em entrevista, o governador lamentou o fato, mas enfatizou a necessidade de aplicação da Justiça. "Quando você vê uma autoridade brasileira sendo presa, todos nós brasileiros lamentamos de alguma maneira. Ao mesmo tempo, a crença é que a Justiça esteja praticando algo correto e, se houve um desvio, um ato ilícito, qualquer um, inclusive um ex-presidente tem que pagar por esse ato", disse.

O líder da bancada federal, deputado Da Vitória (PPS), disse que acredita na capacidade investigatória do Ministério Público (MP) e da Justiça, que segundo o deputado, não concede prisões sem os elementos necessários.

Da Vitória disse ainda que espera transparência e seriedade na continuação das investigações, para que os delitos sejam confirmados, ou não. Por fim, o deputado disse que a prisão de Temer mostra um novo momento vivido pelo país. "Ninguém está acima da lei. Independente de cargo ou situação econômica", disse.

O presidente da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), deputado estadual Erick Musso (PRB), disse que a prisão de mais um ex-presidente da República é uma vergonha para o Brasil, mas também é um sinal de que a justiça funciona para todos.

Além do governador e dos deputados citados, as lideranças partidárias também se posicionaram sobre a prisão do ex-presidente. O presidente do PSB no Espírito Santo, Carlos Rafael, disse que a investigação, bem como a punição àqueles que cometem crimes de corrupção, são bem-vindas e têm o apoio do partido. Entretanto, neste caso específico de desdobramento da operação Lava Jato, é necessário aguardar e observar se a investigação seja feita dentro dos trâmites e preceitos legais.

O presidente do PSDB capixaba, César Colnago, afirmou que a prisão de um ex-presidente da República nunca é um fato para comemoração, mas ressaltou a importância de ver as instituições funcionando e os detentores do Poder sendo punidos pelas atitudes. Colnago disse ainda que o país está evoluindo no combate à corrupção.

Carlos Manato, presidente do PSL capixaba, disse que o partido é favorável à operação Lava Jato e que a prisão de Temer é um desdobramento das investigações. "A Lava Jato tem que pegar, doa a quem doer e dessa vez foi Michel Temer. Apoiamos (a operação) porque sabemos que chegaram a essas conclusões depois de muitas investigações", disse Manato. 

O PT capixaba não emitiu nota oficial e disse que vai seguir a determinação do diretório nacional do partido, que, por meio de nota, disse que as prisões de Temer e Moreira Franco tenham sido decretadas com base em fatos consistentes e respeitando o processo legal, não sendo baseadas apenas em especulações e delações sem provas, como ocorreu no caso do ex-presidente Lula.

O presidente do MDB capixaba, Lelo Coimbra, foi procurado pela reportagem da Rede Vitória desde a última quinta-feira (21), para comentar a prisão de Temer, mas não deu retorno até o fechamento da matéria.