Casagrande vai tirar ônibus das ruas, prorrogar decreto e fechar construção civil e oficinas no ES

Política

Casagrande vai tirar ônibus das ruas, prorrogar decreto e fechar construção civil e oficinas no ES

Governador anunciou as medidas mais extremas em coletiva realizada às 14h desta quinta-feira (25); veja as mudanças que vão valer a partir do dia 28

Conforme antecipou o Folha Vitória, o governador Renato Casagrande (PSB) anunciou nesta quinta-feira (25) medidas mais extremas para reduzir a transmissão da covid-19 no Espírito Santo. Uma das principais é a paralisação total do transporte coletivo durante oito dias. A suspensão acontece a partir deste domingo (28) e vai até o domingo de Páscoa, dia 4 de abril. 

Não poderão funcionar:

Não serão considerados serviços essenciais e, portanto, não poderão abrir os seguintes estabelecimentos:

- comércio atacadista;

- lojas de material de construção civil;

- casas de peças e oficinas de reparação de veículos automotores;

- comercialização de produtos e serviços de cuidados animais (permitido o funcionamento de clínicas médicas veterinárias e comercialização de alimentos);

- agências bancárias (permitindo o atendimento presencial para recebimento de benefícios)

- instituições financeiras de fomento econômico;

- casas lotéricas;

- atividade de pesca de lazer no mar (permitida a pesca comercial);

- foi retirada também a permissão para o atendimento presencial em concessionárias prestadoras de serviços públicos;

- em relação aos serviços de assistência à saúde, será permitido o funcionamento somente de “hospitais, clínicas e consultórios médicos, odontológicos e de fisioterapia, laboratórios e farmacêuticas”. A campanha de vacinação seguirá normalmente;

- hotéis, pousadas e afins terão a capacidade de ocupação limitada a 30% dos quartos;

- suspensão do transporte coletivo em todo o Espírito Santo a partir deste domingo (28) até o dia 04 de abril. A medida vai atingir 100% dos coletivos dos serviços metropolitano (Sistema Transcol), rodoviário (intermunicipal e interestadual) e os municipais nas cidades que possuem o serviço;

- transporte ferroviário de passageiros também ficará suspenso;

A decisão sobre o transporte coletivo foi tomada com objetivo de reduzir a interação entre as pessoas, visando a redução na transmissão da doença. No serviço metropolitano de transporte coletivo (Transcol), a redução de passageiros foi em média de 20%, quando o esperado para o período de quarentena era uma redução de 50%. Uma parte da frota do Sistema Transcol será disponibilizada para dar apoio aos serviços de saúde para o transporte exclusivo dos profissionais de saúde.

Foto: Hélio Filho/Secom

Ficam proibidas também:

- reuniões, exceto aos pertencentes de um mesmo núcleo familiar, incluindo quaisquer tipos de eventos sociais; 

- utilização de praças, parques, jardins públicos, campos públicos de futebol, quadras públicas de esportes, ginásios públicos de esportes e outros espaços públicos equivalentes; realização de atividades físicas coletivas, nas áreas e vias públicas;

- fica recomendado que as igrejas e os templos religiosos transmitam, preferencialmente, seus cultos e missas por meio virtual;

-  administradores e síndicos de condomínios verticais e/ou horizontais devem limitar a utilização, simultânea, das áreas de uso comum de lazer para os moradores do mesmo núcleo familiar;

-  pessoas deverão adotar medidas de proteção e higiene, bem como utilizar máscaras fora do ambiente residencial;

- proibidos serviços de drive thru, take away ou equivalente;

-  restaurantes só poderão funcionar por meio do sistema de entregas (delivery);

-  lojas de conveniência de postos de combustíveis não poderão funcionar durante a vigência do Decreto.

- estabelecimentos não essenciais deverão manter fechados os acessos do público ao seu interior e está proibido o atendimento ao público externo no interior ou na porta, com ou sem horário marcado.

- estão proibidos os funcionamentos de clubes de serviço e de lazer, de academias de qualquer natureza, e a realização de atividades esportivas de caráter coletivo, ainda que sem a presença de público.

- fica suspensa a atividade educacional presencial em todos os níveis.

- ficam suspensos os cursos livres presenciais.

No dia 16 de março, o governador havia anunciado fechamento total no comércio, escola e outras atividades no Estado. A medida entrou em vigor há uma semana, e teria validade até o dia 31 de março. 

Na ocasião, o governador justificou o anúncio das medidas. "Estamos na pior fase da pandemia, enfrentando um ambiente de guerra", reconheceu. 

Ele apontou como as principais razões para a disparada do contágio no Brasil a demora na vacinação, a falta de uma coordenação nacional das medidas sanitárias, o surgimento de novas cepas do coronavírus e o negacionismo de parte da sociedade sobre a gravidade da pandemia.