Líder do PSDB tentará novamente criar CPI dos Fundos de Pensão

Política

Líder do PSDB tentará novamente criar CPI dos Fundos de Pensão

Cássio Cunha Lima (PB), disse nesta sexta-feira, 17, que conseguiu reunir novamente as assinaturas necessárias para protocolar o pedido da criação da CPI dos Fundos de Pensões

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

Brasília - O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), disse nesta sexta-feira, 17, que conseguiu reunir novamente as assinaturas necessárias para protocolar o pedido da criação da CPI dos Fundos de Pensões. Segundo o senador, ele vai pedir a leitura do requerimento na próxima quarta-feira, 22.

Na semana passada, após uma articulação da base aliada do governo, os seis senadores do PSB decidiram retirar as assinaturas de apoio à instalação da comissão. Pelo regimento da Casa, é necessário o apoio de pelo menos 27 senadores para a criação de uma CPI.

Segundo Cunha Lima, o senador Romário (PSB-RJ) voltou atrás e decidiu assinar novamente o pedido, o que vai possibilitar protocolar a CPI, cujo objetivo será investigar as irregularidades na gestão de recursos de fundos de pensão de quatro instituições ligadas ao governo: Petrobras (Petros), Correios (Postalis), Banco do Brasil (Previ) e Caixa Econômica Federal (Funcef).

Aécio

Nesta sexta-feira, o líder do PSDB também saiu em defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG), após o ex-ministro da Secretaria-geral da Presidência da República Gilberto Carvalho (PT) dizer que o tucano não tinha "moral" para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff. "Toda vez que um petista é preso, num ato de desespero, eles passam a atacar o Aécio", disse, em referência ao fato do ex- tesoureiro do PT João Vaccari Neto ter sido preso esta semana.