Em eventos diferentes, Aécio e Padilha lamentam confrontos no PR

Política

Em eventos diferentes, Aécio e Padilha lamentam confrontos no PR

Redação Folha Vitória

São Paulo - O presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, lamentou nesta sexta-feira (1º) o confronto entre professores e a Polícia Militar que deixou mais de 200 pessoas feridas na última quarta-feira (29) no Paraná. "O que aconteceu em Curitiba é algo que lamentamos, mas que não pode ser alvo de ironia ou de críticas", disse, ao ser questionado por jornalistas enquanto saía de ato da Força Sindical em comemoração ao Dia do Trabalho, na capital paulista.

O governador do Paraná, Beto Richa, também é do PSDB, e tem sido criticado pela postura da PM. O Ministério Público do Estado do Paraná viu excessos na ação policial.

Em seu terceiro vídeo publicado nas redes sociais por ocasião do Dia do Trabalho, a presidente Dilma Rousseff utilizou a celebração da data para alfinetar Richa. "O Brasil vive hoje em plena democracia, por isso temos de nos acostumar às vozes das ruas, aos pleitos dos trabalhadores. Temos de reconhecer como legítimas as reivindicações de todos os segmentos sociais da nossa população. Temos de nos acostumar a fazer isso sem violência e sem repressão. Para isso, nada melhor que o diálogo franco e transparente entre o governo e a sociedade", disse Dilma, em vídeo divulgado nesta sexta-feira.

Já o secretário de Relações Institucionais da Prefeitura de São Paulo, Alexandre Padilha, que substituiu o prefeito de São Paulo, Fernando Hadadd, no evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em outro ponto da cidade de São Paulo, criticou o confronto em conversa com a imprensa. "É um retrocesso em uma sociedade democrática", afirmou ele, ao chegar ao ato.