Líder do "Vem Pra Rua" assume que durante três meses batia ponto na CMV e ia para casa

Política

Líder do "Vem Pra Rua" assume que durante três meses batia ponto na CMV e ia para casa

"Fui orientado pelo próprio parlamentar a sair da faculdade, passar na Câmara, bater o ponto e ir em casa almoçar, tomar um banho e trocar de roupa para voltar ao trabalho", afirmou Fontoura

Imagem de circuito interno da Câmara capta imagem de comissionado batendo ponto e indo embora Foto: Divulgação

O secretário-geral eleito do PSDB de Vitória, Armando Fontoura, eleito no último domingo, não negou nesta terça-feira (19) o fato de ter batido o ponto na Câmara Municipal de Vitória e ido para casa. Porém, ele assinalou que a atitude foi orientada pelo vereador para qual prestava assessoria à época Luiz Emanuel (PSDB).

Em nota, divulgada em rede social, Armando pede desculpas à sociedade capixaba e aos militantes do PSDB.

“Em janeiro de 2013 fui convidado pelo então Vereador Luiz Emanuel para fazer parte de sua equipe de assessores na Câmara de Vereadores de Vitória, como estudava pela manhã e tinha que cumprir uma carga horária obrigatória de 8 horas em seu gabinete, sendo uma hora de almoço, fui orientado pelo próprio parlamentar a sair da faculdade, passar na Câmara, bater o ponto e ir em casa almoçar, tomar um banho e trocar de roupa para voltar ao trabalho. E essa foi minha rotina durante os três meses em que permaneci nomeado no gabinete do Vereador Luiz Emanuel”, justificou o secretário-geral do partido em Vitória.

Ele explicou ainda que em março de 2013 se desligou do gabinete por ter divergências partidárias com o vereador. Segundo ele, depois de se desvincular do gabinete, teria sido alvo de “investidas” por ser influente junto aos jovens tucanos, já que ocupa o cargo de presidente estadual da Juventude do PSDB.

A parte mais grave da nota é quando Armando Fontoura diz que recebeu o vídeo que gerou toda a polêmica em que mostra sua própria imagem batendo ponto e indo embora. 

“Em janeiro deste ano, me foi enviado em tom de ameaça e intimidação um vídeo em que eu aparecia batendo o ponto na Câmara de Vitória em março de 2013, dizendo que se eu não recuasse de minha intenção de formar uma chapa para disputar o diretório de Vitória do PSDB, esse vídeo seria repassado para a imprensa. Não me curvei a estas ameaças que vinha do vereador Luiz Emanuel e continuei o nosso trabalho de construção de um partido forte e vigoroso na defesa de seus ideais programáticos”, relatou Fontoura.

"A divulgação deste vídeo é uma retaliação ao nosso trabalho, mais (sic) com humildade e mais maduro de minhas atitudes, vou continuar exercendo meu trabalho fruto de minha história de luta e paixão em defesa do pluralismo, da ética e da solidariedade. Cometi um erro em 2013 que me serviu de lição e me fez refletir e intensificar meus esforços no combate à corrupção administrativa. E nessa reflexão, compreende-se cada vez mais que o político ser honesto é obrigação moral, um pré-requisito, não virtude que o diferencia dos demais. Meu interesse máximo agora é de recuperar a minha alma.

Como Armando Fontoura fazia parte do Movimento Vem Pra Rua, contra a presidente Dilma, os integrantes sentiram-se na obrigação de divulgar uma nota de repúdio. Segundo eles, o movimento quis manifestar “sua ojeriza à prática protagonizada no vídeo”.

O movimento lamenta que o jovem político tenha enveredado “pelo caminho de uma política viciada e marcada pela falta de ética, algo que a sociedade não tolera mais”.

De acordo com a nota, o líder do movimento “Vem pra Rua” teria sido excluído do grupo antes da manifestação do dia 12 de abril. “O comportamento injustificável associado a reiteradas demonstrações de falta de ética (quando tentou fazer das manifestações um palanque político, por exemplo), e até  mesmo o uso não autorizado de recursos do grupo, só poderiam culminar no banimento”.

Ainda na nota, o movimento assinala que ao PSDB restaria se omitir ou tomar uma decisão que justificasse tal apresentação.

Também em nota, o vereador Luiz Emanuel (PSDB) confirmou que Armando Fontoura foi assessor do seu gabinete no período entre 9 de janeiro de 2013 e 20 de março de 2013, tenso sido excluído dos quadros de assessores por divergência política, o que confirma o que foi dito pelo secretário-geral do partido.

A nota ainda esclarece: “Sobre o vídeo, o vereador Luiz Emanuel esclarece que tem conhecimento da gravação, mas não sobre quem a divulgou”, finaliza a nota.

Por volta de 17 horas desta terça-feira, o vereador Luiz Emanuel (PSDB) divulgou uma segunda nota em que afirma que tem o objetivo de cessar as especulações em torno do assunto. E disse que irá acionar judicialmente o secretário-geral do PSDB de Vitória.

Diz um trecho da nota:

“Irá acionar judicialmente o Sr. Armando Fontoura Borges Filho para que ele comprove todas as calúnias que faz em seu discurso, atingindo diretamente a honra e moral do vereador. Sobre o posicionamento do vereador Luiz Emanuel a respeito do caso, vale acrescentar que o Sr. Armando Fontoura Borges Filho foi nomeado como cargo em comissão em seu gabinete no dia 09 de janeiro de 2013 na função de assessor parlamentar. A exoneração ocorreu em 20 de março de 2013 devido a divergências políticas e má conduta do assessor”.