Apenas seis deputados estaduais não deverão disputar reeleição no ES

Política

Apenas seis deputados estaduais não deverão disputar reeleição no ES

Expectativa é de que parlamentares encabecem chapas para o Executivo, além do lançamento de candidaturas para a Câmara Federal. Clima de eleição já esvazia as sessões plenárias da Ales

Plenário da Ales deve ficar cada vez mais vazio com proximidade das eleições Foto: Divulgação/Assembleia

Dos 30 deputados estaduais, apenas seis não deverão disputar a reeleição no pleito de outubro, no Espírito Santo. O primeiro a deixar a disputa foi o deputado Claudio Vereza (PT), que, após acumular seis mandatos consecutivos, anunciou a aposentadoria no mês de março deste ano.

A expectativa é de que o parlamentar trabalhe para angariar votos para a senadora Ana Rita (PT), que deverá candidatar-se ao Legislativo Estadual.

O deputado Vandinho Leite (PSB) também não deverá entrar na briga pela reeleição, mas tem o nome cotado para a Câmara dos Deputados.

Também restam dúvidas sobre os nomes dos deputados Roberto Carlos (PT) e Sandro Locutor (PPS). Isso porque Roberto Carlos poderá ser lançado nos próximos dias como candidato ao governo do Estado. O PT se reúne com o presidente da Executiva Nacional, na próxima quinta-feira (19), às 11 horas, em Brasília. Já o PPS quer o nome de Locutor como vice na chapa de reeleição do governador Renato Casagrande (PSB).

Outro nome que continua indefinido é o do presidente da Casa, Theodorico Ferraço (DEM). O parlamentar não confirma se disputará a reeleição, e nos bastidores especula-se uma candidatura à Câmara.

Também pode entrar na disputa federal o deputado Josias da Vitória (PDT), cujo partido tem intenção de eleger, pelo menos, dois representantes para a Câmara.

Sessões vazias

E o clima das eleições já reflete efeitos no plenário da Assembleia, que tem ficado cada vez mais vazio. Na última segunda-feira (16), conforme mostrou a coluna Bastidores, do Folha Vitória, nenhuma matéria foi votada e, diante disso, coube aos parlamentares, a maioria disputando a reeleição, fazerem discursos sem grande relevância para a sociedade.