Após apoio de Eduardo Braga, CPI do MEC fica a uma assinatura de ser protocolada

Política

Após apoio de Eduardo Braga, CPI do MEC fica a uma assinatura de ser protocolada

O pedido depende do apoio formal de 27 senadores e de uma decisão do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG)

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Agência Senado

O senador Eduardo Braga (MDB-AM) assinou o requerimento para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a investigar suspeitas de desvios no Ministério da Educação (MEC).

Autor do pedido, o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou em publicação no Twitter nesta quarta-feira (22) que falta apenas uma assinatura para que a solicitação seja protocolada. O pedido depende do apoio formal de 27 senadores e de uma decisão do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

A ideia da CPI do MEC voltou a ganhar força no Senado após a prisão do ex-ministro da pasta, Milton Ribeiro, em operação feita hoje pela Polícia Federal. "É preciso investigar a fundo os supostos escândalos no Ministério da Educação, uma das pastas mais importantes do país", disse Braga no Twitter.

Como revelou o Estadão, Ribeiro e dois pastores mantinham um gabinete paralelo no ministério. Prefeitos relataram ao jornal terem recebido pedido de pagamento de propina em troca de agendas no MEC e liberação de recursos da educação. Além do ex-ministro, os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, também no centro das suspeitas, são alvos de buscas da polícia.

Pontos moeda