Vereza acredita que polícia carioca exagera contra ativistas

Política

Vereza acredita que polícia carioca exagera contra ativistas

Deputado estadual pelo PT acredita que a atuação da polícia do Rio de Janeiro é exagerada. Já presidente regional do PV acredita que cada pessoa deve ser responsabilizada pelo que faz

Polícia carioca acompanha manifestação no Rio Foto: Agência Brasil

O deputado estadual Cláudio Vereza (PT) classificou como exagerada a atuação da polícia do Rio de Janeiro no caso dos ativistas que foram presos acusados de envolvimento em atos violentos.

Foram 23 mandados de prisão decretados pelo juiz da 27ª Vara Criminal da Capital do Tribunal de Justiça do Rio, Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, contra os ativistas.

“Eu acho que há um exagero das forças de repressão no Rio de Janeiro com relação aos manifestantes. Mas como não acompanhei de perto os acontecimentos, não posso tecer opinião mais profunda. Pelo que vejo no noticiário, há exageros”, opinou Vereza.

O deputado teme que o problema possa tornar-se político. “Temos de evitar que se torne um problema político. Isso tem ocorrido por parte da polícia, já que tem ocorrido no Rio, não há uma orientação nacional. É preciso evitar o exagero de ambas as partes”, afirmou.

Já a presidente regional do PV, Cidinéia Fontana, disse que cada pessoa deve ser responsabilizada pelo que faz. “Não entro no mérito de um por um (dos manifestantes). Sou favorável às manifestações. Acho que temos de analisar cada caso. As manifestações são importantes, desde que não sejam para machucar pessoas. Com mascarados não concordo. Se vai usar máscara é porque quer fazer algo de errado”, opinou a verde.

Prisões

As prisões foram determinadas no dia 12 de junho pelo juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal. Ele considerou serem "imprescindíveis para o aprofundamento das investigações" e para a manutenção da ordem durante a final da Copa, uma vez que havia indícios de que os ativistas agiriam com "extrema violência" em manifestações antiCopa na final do Mundial, realizada no Maracanã.