Líder do DEM diz que redução da meta indica descontrole das contas públicas

Política

Líder do DEM diz que redução da meta indica descontrole das contas públicas

Redação Folha Vitória

Brasília - O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Mendonça Filho (PE), disse que a redução da meta fiscal mostra que a presidente Dilma Rousseff perdeu o controle sobre as contas públicas. "Todos os principais indicadores fiscais foram reduzidos, e muito, o que mostra o rombo nas contas públicas, reflexo da forma irresponsável com que o governo petista tratou as contas", comentou Mendonça por meio de nota.

O deputado avaliou que o governo gastou "mais do que podia" e agora apelou para a redução da meta. "Se a situação não melhorar e, infelizmente não deve melhorar, teremos déficit primário de novo", previu.

Assim como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o líder do DEM disse que o cenário econômico que se apresenta pode comprometer o grau de investimento do País. "Se o investment grade for reduzido, os investidores, que já não estão muito interessados pelo Brasil por conta da instabilidade jurídica, vão fugir de vez".

O presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), também atacou a redução da meta de superávit primário de 1,13% (R$ 66,3 bilhões) para 0,15% (R$ 8,74 bilhões) do PIB. Segundo nota distribuída pela assessoria do PPS, Freire disse que a medida é um "atestado de incompetência" do governo e do "fracasso" do pacote de ajuste fiscal.

"A situação está muito difícil e tende, infelizmente, a piorar. Ontem tivemos a confissão de toda a incapacidade do governo, que anunciou que o ajuste praticamente não existe mais. Os cortes anunciados não vão resolver. Vamos de mal a pior", avaliou o deputado.