• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Obras do contorno do Mestre Álvaro devem ter início em agosto, diz Hartung

Política

Obras do contorno do Mestre Álvaro devem ter início em agosto, diz Hartung

Entre os empreendimentos discutidos estão o contorno do Mestre Álvaro, a retomada das obras de dragagem e derrocagem do Porto de Vitória e a duplicação da BR-262

Hartung encontra ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Malta Lessa, em Brasília Foto: Divulgação/Governo Federal

Ampliação das obras do contorno do Mestre Álvaro, na Serra, cronograma de retomada das obras de dragagem e derrocagem do canal de acesso ao Complexo Portuário de Vitória e a duplicação da BR 262 foram alguns dos temas do encontro entre o governador Paulo Hartung (PMDB) e o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Malta Lessa, no final da tarde desta terça-feira (05), em Brasília. 

Hartung adianta que as obras do contorno estão previstas para iniciar no próximo mês, com data a ser agendada pelo Ministério. A intervenção tem investimento estimado em R$ 290 milhões. Ao todo, serão 19 quilômetros de via, com quatro pistas, sendo duas em cada sentido, para ligar dois pontos da BR-101, do km 249 até o km 275. 

Além da pista, o trecho vai contar com faixa multiuso para ciclistas em toda a extensão e treze passagens de fauna, que são viadutos que permitem que animais cruzem a pista, já que o contorno passará próximo a áreas de preservação ambiental.

Já as obras de dragagem e derrocagem do canal de acesso ao Complexo Portuário de Vitória serão retomadas nos próximos dias. Os equipamentos estão no Porto de Vitória. 

Com a retomada das obras, vai ser concluída a retirada das pedras do fundo do canal. De um total de 1,8 milhão de metros cúbicos de dragagem, faltam 690 mil metros cúbicos. Quanto à derrocagem, restam 4 mil metros cúbicos, de um total de 110 mil estimados.

O canal tem profundidade de 11,4 metros e permite a navegação de navios com calado de 10,6 metros, com carga máxima de 40 mil toneladas. Após a conclusão da obra, a profundidade vai chegar a 14 metros.

De acordo com a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), navios com calado de 12,5 metros poderão acessar o porto transportando até 60 mil toneladas, o que representará aumento de 40% da capacidade de carga. Com a conclusão da obra no final de 2016, está previsto um aumento de movimentação de cargas na ordem de 40%.

Sobre a BR-262, Hartung destacou que o Governo Federal segue procurando um formato de modelo para receber investimentos da iniciativa privada para duplicação e modernização da rodovia.