• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Anastasia tem palanque em um terço dos municípios mineiros

Política

Anastasia tem palanque em um terço dos municípios mineiros

Os números, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) referentes às eleições municipais de 2016, levam em conta apenas as alianças já formalizadas

Dos 853 municípios de Minas Gerais, pouco mais de um terço será palanque para o pré-candidato do PSDB ao governo, Antonio Anastasia. A coligação do tucano, por enquanto formada por PSC, PSD, PPS, PTB e Solidariedade, além do PSDB, controla 291 prefeituras, ou 34,1%. Já o governador Fernando Pimentel (PT), que por enquanto não anunciou aliança com outros partidos, tem 39 prefeitos ao seu lado (4,6%).

Os números, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) referentes às eleições municipais de 2016, levam em conta apenas as alianças já formalizadas.

"No modelo que teremos de eleição e com recursos mais parcos, sem megacampanhas, a capilaridade dos prefeitos pode dar mais popularidade para a campanha", afirmou Alexandre Silveira (PSD), um dos coordenadores da campanha tucana. Segundo ele, a coligação encabeçada pelo PSDB espera reunir entre 470 a 500 prefeitos até o início da campanha.

O deputado federal Reginaldo Lopes (PT) amenizou o fato de seu partido ainda não ter fechado aliança. "Essas eleições serão divididas por campos políticos, e não por uma 'sopa de letrinhas'", afirmou.

O deputado Rodrigo Pacheco, pré-candidato do DEM com o apoio de Avante, Patriotas e PP, tem base em 123 prefeituras (14,4%). "O apoio dos prefeitos é fundamental, pois as pessoas moram nos municípios", disse.

Já o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda, pré-candidato do PSB com o apoio do PDT e do PROS, tem base em 10% cidades - são 87 prefeituras. "Seguirei ao lado dos prefeitos em defesa de mais investimentos e principalmente de mais protagonismo para as nossas cidades", afirmou Lacerda.

Os pré-candidatos Dirlene Marques (PSOL), João Batista Mares Guia (Rede) e Romeu Zema (Novo) não têm palanque entre os prefeitos mineiros.

O MDB, que nesta semana destituiu seu diretório mineiro para intensificar conversas com outros partidos, controla 18,9% dos municípios. São 162 prefeitos emedebistas. "O MDB se tornou o (partido) mais capilarizado em Minas e no Brasil", afirmou um dos três pré-candidatos do partido ao governo, o presidente da Assembleia Legislativa, Adalclever Lopes. Além dele, o vice-governador, Antônio Andrade, e o deputado federal Leonardo Quintão, pleiteiam a postulação.

Na opinião do cientista político da UFMG Leonardo Avritzer, o apoio de prefeitos é essencial para as candidaturas em Minas, por causa do tamanho do eleitorado no interior. "Minas tem a concentração da população na capital menor do que no restante do Estado. Logo, você não consegue fazer uma frente significativa só com a região metropolitana de BH".

Sem integrar nenhuma coligação, os prefeitos que são filiados a PV, PTN, PSL, PRTB, PRB representam 7% do municípios ainda podem ser disputados pelas coligações que pretendem lançar candidaturas na disputa pela Palácio da Liberdade - são, ao todo, 60 prefeitos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.