Lava Jato traz ganho para o País, mas vazamentos me irritam, diz Cardozo

Política

Lava Jato traz ganho para o País, mas vazamentos me irritam, diz Cardozo

Redação Folha Vitória

São Paulo - A Operação Lava Jato, que investiga casos de corrupção e cartel na Petrobras, traz ganho para o Brasil, mas vazamentos de informações de forma proposital é inaceitável, disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. "Vazar informações propositalmente, não importa o objetivo, se é de atingir pessoas, é inaceitável. Sobre isso, recebo orientações claras da presidente Dilma Rousseff. Em nenhum momento ouvi da presidente: tente evitar isso e iniba aquilo", afirmou ele, em evento, em São Paulo.

Cardozo ressaltou ainda a necessidade de a Polícia Federal ter liberdade de investigar. "O ministro da Justiça tem de evitar o abuso de poder e ilegalidade e intervém não para conduzir, mas para evitar o arbítrio", resumiu.

O ministro da Justiça aproveitou a plateia de empresários para comentar o momento que passou no último domingo, quando manifestantes anti-governo Dilma o abordaram na região da Avenida Paulista. Cardozo disse que costuma sair sem seguranças embora isso seja exigido legalmente.

"Meus amigos da Polícia Federal ficam enlouquecidos quando digo que vou ficar em casa e não fico. Domingo, eu saí, militantes me viram e começaram a protestar. Acho legítimo, só não admito palavras de baixo calão, xingamento", contou Cardozo. "Duas pessoas podem duelar, mas se respeitando. Esse é o ponto central que devemos colocar na nossa conjuntura."

O ministro da Justiça citou ainda a necessidade de o PT rever questões desde que seja intransigente com a questão da ética. "Essa sempre foi a nossa bandeira. Se pessoas erraram, que paguem por isso. Muitas coisas precisam ser repensadas (no PT). Eu não estou fazendo, porque como ministro não posso, mas quando sair, de bom grado vou ajudar para que o PT se reoriente e se readeque", concluiu.