Temer apoia Lava Jato, mas rechaça informações de delatores que citam seu nome

Política

Temer apoia Lava Jato, mas rechaça informações de delatores que citam seu nome

Temer, em nota, disse que apoia as investigações da Operação Lava Jato e que essas apurações contribuem para o fortalecimento das relações institucionais brasileiras e da República

Redação Folha Vitória
O comunicado do vice-presidente Michel Temer foi uma resposta ao depoimento de Camargo Foto: Estadão Conteúdo

Brasília - O vice-presidente Michel Temer divulgou nota neste sábado (22), dizendo não conhecer dois dos delatores da operação Lava Jato: Fernando Baiano e Júlio Camargo. O comunicado de Temer foi uma resposta ao depoimento de Camargo, com informações que foram tornadas públicas recentemente, segundo as quais o lobista Fernando Soares era conhecido por representar o PMDB, o que incluiria, além de Cunha, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o vice-presidente da República, Michel Temer.

"Havia comentários de que Fernando Soares era representante do PMDB, principalmente de Renan, Eduardo Cunha e Michel Temer. E que tinha contato com essas pessoas de 'irmandade'", diz trecho do relatório dos investigadores sobre o primeiro depoimento prestado por Júlio Camargo à Procuradoria Geral da República (PGR), em março.

Temer, em nota, disse que apoia as investigações da Operação Lava Jato e que essas apurações contribuem para o fortalecimento das relações institucionais brasileiras e da República. O comunicado, no entanto, contesta as informações dadas pelo delator e as classifica como "inteiramente falsas".

"Michel Temer não conhece Fernando Soares, nunca teve ou tem com ele qualquer relação ou contato de 'irmandade'; também não conhece Júlio Camargo", diz a nota. "O vice-presidente incentiva apurações sérias, profundas e responsáveis sobre os fatos. Apenas se insurge contra informações falsas e inverídicas", concluiu o comunicado.

Pontos moeda