líder do PP propõe transição para projeto da renegociação da dívida dos Estados

Política

líder do PP propõe transição para projeto da renegociação da dívida dos Estados

Redação Folha Vitória

Brasília - O líder do PP na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PB), afirmou que o governo deverá incluir uma "regra de transição" para aprovar o projeto da renegociação da dívida dos Estados no plenário da Casa. Segundo ele, é preciso haver um período para que os Estados possam se adequar às novas determinações.

Ribeiro se reúne nesta tarde com o relator da matéria, deputado Esperidião Amin (PP-SC), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o líder do governo, André Moura (PSC-SE), no Ministério da Fazenda, para definir essa e outras adequações à proposta. De acordo com o líder do PP na Casa, Amin e Meirelles já demonstraram simpatia com a ideia de haver um tempo para adaptação, porém ainda não estipularam qual seria esse prazo.

"Se houver o que foi discutido, de não haver a mudança da regra de supetão, isso aí é consenso para todo mundo", declarou.

A regra de transição é apenas um dos pontos que condicionam a votação do projeto acontecer ou não nesta semana. Também há a preocupação em relação ao quórum. Apesar de a votação do projeto estar prevista para hoje, a estimativa do parlamentar é de que apenas 60% dos deputados estejam na Casa, devido às campanhas para a eleição municipal. Por isso, a sessão do plenário desta segunda-feira será usada apenas para a discussão do texto. Caso não haja número suficiente de deputados para a votação até amanhã, o pleito será adiado para a semana que vem.

Como o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), convocou a sessão do Congresso Nacional para amanhã, os parlamentares só terão o período da manhã para votar o projeto.

Ribeiro defendeu ainda que o projeto precisa ser pactuado no Senado, considerado a "Casa dos Estados". De acordo com ele, o ministro da Fazenda irá propor um café da manhã com os senadores amanhã para discutir a matéria. Muitos dos parlamentares são ex-governadores e este seria um tema sensível na Casa.