Vitória e Vila Velha criam projetos de lei para reduzir furtos de fios de cobre

Política

Vitória e Vila Velha criam projetos de lei para reduzir furtos de fios de cobre

Forças de segurança unem esforços para combater os casos e prejuízos; compradores sem procedência serão punidos

Foto: Reprodução TV Vitória

Cada vez mais, a prática de furto de fios de cobre tem sido comum na Grande Vitória. A Capital, nos dois primeiros meses deste ano, teve um prejuízo de cerca de R$ 400 mil para repor materiais furtados em pontos da cidade que por causa do crime ficaram sem energia elétrica. 

De acordo como delegado titular do 17º Distrito Policial, Henrique Vidigal, um dos principais motivos da prática ter se tornado tão cobiçada é o aumento de pessoas em situação de rua. 

"Esse usuário de droga, o que ele quer apenas, é sustentar seu vicio momentâneo. Então, ele não está preocupado no quanto que custa 1kg de cobre ou alumínio".

Uma das razões de maior procura é a dificuldade em combater o crime, já que esse tipo de material é facilmente encontrado e possui alto valor comercial. 

"Dentre os metais que são comercializados nesses ferros-velhos, o cobre é o que tem maior valor agregado, em relação até, em detrimento ao ferro e ao alumínio, que são os outros dois mais comercializados", informou o delegado. 

A lógica é simples: quando o número de furtos aumenta, cresce também a quantidade de pessoas comprando material irregular. Essa tem sido uma das principais ações da polícia no combate a esse tipo de crime. 

"Apesar das constantes fiscalizações que as prefeituras e a Polícia Civil tem feito, ainda assim, por funcionar de forma irregular, eles acabam retornando ao mercado várias vezes, mesmo depois de fechados", destacou o delegado.

Leia também:

Cerca de 600 kg de fios furtados são apreendidos em Vitória

Municípios da Grande Vitória já registram prejuízo de mais de 770 mil por furtos de fios de cobre

Operação Hefesto: cinco ferros-velhos são notificados por comprarem fios de cobre furtados

Um projeto de lei foi aprovado em alguns municípios e comerciante deverá prestar contas

Projetos de lei que já foram aprovados em Vitória, Vila Velha e um que está sendo estudado por Cariacica, buscam reduzir o número de casos, prejuízos e a punição dos compradores de material sem procedência. 

Segundo o delegado Henrique Vidigal, o comerciante terá que prestar contas do material comprado. 

"Essa legislação, em tese, vai impor obrigações a esses comerciantes que adquirem esse material. Eles serão obrigados a identificar o que está sendo vendido e por quem que foi vendido".

No primeiro semestre, apenas no município de Vitória, mais de 900 kg de fios de cobre foram apreendidos durante as operações e prisões realizadas na cidade. Por esse motivo, uma das ações da prefeitura tem sido substituir esse material por alumínio. 

O secretário municipal de Segurança Urbana de Vitória, Ícaro Ruginski, destacou a ação da guarda no combate aos crimes cometidos na capital. 

"A guarda passou a atuar de forma preventiva realizando prisões de indivíduos que estavam subtraindo essas fiações. Passamos a fazer um mapeamento dos locais que estavam receptando esse material dos criminosos". 

O secretário reforçou ainda que um estabelecimento foi fechado e o proprietário preso e autuado pelo crime de comercialização irregular. 

"Fizemos algumas ações de fiscalização, inclusive no morro da garrafa, onde foi fechado um ferro velho clandestino e o seu proprietário foi preso e autuado em flagrante".

*Com informações da repórter Polyana Martinelli, da TV Vitória / Record TV.