Gilson e Neucimar são os que mais conseguiram doações na Grande Vitória

Política

Gilson e Neucimar são os que mais conseguiram doações na Grande Vitória

Sem fundo partidário por enquanto, os candidatos a prefeito de Viana e Vila Velha foram os que mais conseguiram doações de pessoas físicas até agora, segundo o TSE

Gilson Daniel e Neucimar Fraga lideram arrecadações, sem contar com o fundo partidário Foto: Divulgação

Weverton Campos (Redação Folha Vitória)

Sem fundo partidário por enquanto e com a proibição das doações de pessoas jurídicas pela minirreforma eleitoral, Gilson Daniel (PV), de Viana, e Neucimar Fraga (PSD), de Vila Velha, foram os candidatos a prefeito da Grande Vitória que mais conseguiram doações de pessoas físicas até agora, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Enquanto Gilson Daniel arrecadou R$ 166 mil, sendo R$ 20 mil de seu próprio bolso, Neucimar Fraga arrecadou R$ 91 mil de um total de cinco doadores.

Quando se leva em consideração o fundo partidário, montante enviado pelas direções nacionais das siglas, Max Filho lidera o ranking de arrecadação, com R$ 309,6 mil em caixa (R$ 300 mil do fundo e R$ 9,6 mil em doações).

Luciano Rezende (PPS), prefeito e candidato à reeleição em Vitória, tem R$ 302 mil (sendo R$ 300 mil de fundo); Rodney Miranda (DEM), prefeito e candidato à reeleição em Vila Velha, tem R$ 160 mil (sendo R$ 150 mil do fundo partidário) e Amaro Neto (SD), candidato em Vitória, já arrecadou R$ 100 mil do fundo.

Ainda não há informações dos candidatos Lelo Coimbra (PMDB), de Vitória; Alan Cláudio Melo (PRTB), Professora Liu Katrini (PSOL) e Vasco Alves (PPL), de Vila Velha; Audifax Barcelos (REDE) e Sergio Vidigal (PDT), de Serra, e Moisés de Souza (PMB), de Viana.

Segundo Neucimar Fraga, "não está fácil arrecadar, principalmente para quem está sem mandato". "A nova legislação dificultou muito a arrecadação. Sem mandato é bem mais difícil conseguir recursos do partido em Brasília, já que eles dão preferências para as capitais", avaliou.

O ministro do TSE, Henrique Neves, destaca como uma das alterações mais importantes para as eleições de 2016 a necessidade dos candidatos informarem no prazo de 72 horas a origem de qualquer depósito feito na sua conta bancária.

“Então, se o candidato recebe uma doação, ele tem que informar à Justiça Eleitoral, em 72 horas, quem foi o doador, quem está financiando a sua campanha. Isso é fundamental para que o sistema democrático tenha plena transparência. Para que o eleitor tenha o direito, no curso das eleições, de saber quem são as pessoas que estão financiando os seus candidatos”, ressalta o ministro.

Confira o levantamento de doações dos demais candidatos

VITÓRIA

André Moreira (PSOL) - R$ 28,5 mil (R$ 23 mil do fundo partidário e R$ 5 mil do próprio candidato)

Perly Cipriano (PT) - R$ 20,5 mil (R$ 10 mil do próprio candidato)

CARIACICA

Adilson Avelina (PSB) - R$ 30 mil (fundo partidário)

Juninho (PPS) - R$ 30 mil (do próprio candidato)

Marcelo Santos (PMDB) - R$ 10 mil

Marcos Bruno (REDE) - R$ 7.4 mil (próprio candidato)

SERRA

Gideão Svensson (PR) - R$ 5 mil (próprio candidato)

Givaldo Vieira (PT) - R$ 3,8 mil 

Venturini Nicodemos - R$ 1 mil (próprio candidato) 

VIANA

Nina (PDT) - R$ 40 mil (própria candidata)