Líder do DEM na Câmara diz que renúncia de Cunha, hoje, seria inócua

Política

Líder do DEM na Câmara diz que renúncia de Cunha, hoje, seria inócua

Redação Folha Vitória

Brasília - Líder do DEM na Câmara, o deputado Pauderney Avelino (AM) disse que a sessão desta segunda-feira, 12, para votar a cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) será mantida mesmo se o peemedebista decidir renunciar ao mandato. "Se ele pensou em renunciar para adiar a cassação, ele perdeu o timing. A renúncia vai ser inócua", disse.

A possibilidade de Cunha renunciar para tentar adiar a votação e manter o foro privilegiado tem sido aventada nesta segunda por aliados do peemedebista.

Segundo Pauderney, a votação deve ser mantida e concluída por volta da meia-noite. Ele almoçou com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O líder do DEM também afirmou que será votado o parecer aprovado no Conselho de Ética, que pede a cassação do mandato, e que não há espaço para votar um projeto de resolução, que poderia beneficiar o peemedebista.

A diferença é que se votar o parecer, os deputados só poderão se manifestar a favor ou contra a perda de mandato. O projeto de resolução, porém, permite que os parlamentares apresentem emendas e destaques ao texto.