• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Isolado, Temer vai assistir a desfile da Independência sem principais aliados

  • COMPARTILHE
Política

Isolado, Temer vai assistir a desfile da Independência sem principais aliados

O presidente Michel Temer deverá prestigiar o desfile em comemoração ao Dia da Independência, em Brasília, amanhã, praticamente sem a companhia de seus principais ministros e parlamentares da base aliada. Em um melancólico fim de governo e em meio à campanha eleitoral, o evento deverá contar também com poucas autoridades.

Temer terá a seu lado a primeira-dama, Marcela Temer, e o filho, Michelzinho, que não esteve presente no desfile do ano passado. Os ministros Joaquim Silva e Luna (Defesa) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional) deverão ser os únicos a acompanhar o presidente.

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE) já informaram que não participarão do desfile. Os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria de Governo, Carlos Marun, e da Educação, Rossieli Soares, também estarão fora de Brasília.

O desfile deste ano tem como tema "Heróis da Pátria", que busca trazer um pouco da história da independência do País. Personagens históricos serão destacados durante a apresentação, entre eles Dom Pedro I, Zumbi dos Palmares, Santos Dumont, Tiradentes e Chiquinha Gonzaga, que será apresentada como uma ativista das liberdades femininas. O tradicional desfile terá também a famosa pirâmide humana e a apresentação da esquadrilha da fumaça.

De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, não há mobilização especial prevista para conter manifestações. As vias no entorno do local do evento serão fechadas já na noite desta quinta e só serão liberadas após o desfile.

Os espectadores terão que respeitar algumas regras, como não portar objetos pontiagudos, perfurantes ou cortantes. O uso de drones ou qualquer outro objeto semelhante será bloqueado no espaço aéreo da Esplanada dos Ministérios. A proibição visa evitar que, além da captação de imagens indevidas, os aparelhos não sejam usados para portar armas ou outros objetos perigosos.