• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

"Todos os recursos têm que ser colocados na saúde e na educação", afirma Rose de Freitas

Eleições 2018

  • COMPARTILHE
Política

"Todos os recursos têm que ser colocados na saúde e na educação", afirma Rose de Freitas

A candidata ao Governo do ES Rose de Freitas (PODE) foi a segunda participante da série de entrevistas da Rede Vitória com candidatos ao Executivo Estadual

Rose respondeu questionamentos de jornalistas e da população sobre temas variados

A candidata ao Governo do Espírito Santo pelo Podemos, Rose de Freitas, foi a segunda participante da série de entrevistas da Rede Vitória com candidatos ao Executivo Estadual. A entrevista ocorreu na noite desta quarta-feira (11). Rose respondeu questionamentos de jornalistas e da população sobre temas variados envolvendo as propostas de governo.

Rose explicou que o Estado precisa, inicialmente, reorganizar a saúde e a educação para que os serviços sejam prestados com qualidade à população capixaba. "Há muitos anos, assisto as dificuldades da população e procurei trazer de volta recursos oriundos de impostos ao Estado. É responsabilidade do Estado cuidar da saúde. A situação é precária. O Espírito Santo tem recursos e pode construir parcerias importantes para mudar esse cenário", disse.

Para melhorar a educação no Espírito Santo, a candidata afirma que primeiro é preciso acabar com sonegação de impostos. "O Estado tem cerca de R$ 5 bilhões sonegados atualmente. É preciso pagar impostos. O capixabas pagam, mas, em Brasília, a verba não é revertida igualmente para o Espírito Santo. Temos que acabar com a sonegação", comenta.

Questionada sobre ser ou não favorável à anistia para militares que participaram da paralisação da Polícia Militar do Estado (PMES) em 2017, Rose garante que é preciso analisar cada caso. "Eu daria anistia à polícia. Foi o episódio mais chocante que já tivemos sobre segurança pública no Brasil. Acho que a greve não deveria ter existido. As questões poderiam ser resolvidas com debate. Os militares atuavam em condições precárias, com coletes vencidos, salários atrasados... É difícil pedir para que esse profissional saia às ruas nessas condições", fala a candidata.

Sobre a mobilidade urbana no Espírito Santo, Rose diz que a questão é um problema que tem que ser enfrentado. "Hoje, se você fecha uma rua em Vitória, você sabe que vai fechar a cidade inteira. Os trabalhadores passam quatro horas do dia se dirigindo aos seus locais de trabalho. Esse problema tem que ser trabalhado em conjunto com todos os municípios. No momento, não há dinheiro para construir BRT. Todos os recursos têm que ser colocados na saúde e na educação", afirma.

Rose de Freitas também comentou sobre medidas para diminuir o número de feminicídios no Espírito Santo. "Imagine o que é ser candidata em um Estado que é o primeiro do Sudeste em violência doméstica. Eu trago traços dessa cultura que maltrata mulheres, que perdura há anos no Brasil... Precisamos de mecanismos de defesa que interajam com propostas para acabar com esse tipo de crime. Pretendo colocar, no quesito educação, o conceito de igualdade. É necessário ensinar ao filho que a mãe e a irmã merecem respeito. Se isso não mudar, não vai ter presídio para caber tantos violentadores", analisa.

Veja abaixo a entrevista na íntegra: