Política

Bolsonaro viaja aos Estados Unidos para discursar na ONU

A expectativa é que se confirme um tom conciliatório para as questões ambientais envolvendo o Brasil

Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro desembarca nesta segunda-feira (23) em Nova York, onde fará o tradicional discurso de abertura reservado ao Brasil na Assembleia-Geral das Nações Unidas.

Prevista para ocorrer na terça-feira (24), a declaração, com duração protocolar de 20 minutos, é aguardada com interesse pela comunidade internacional. A expectativa é que se confirme um tom conciliatório para as questões ambientais envolvendo o Brasil.

Como antecipou o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, será um discurso em que o presidente “vai defender as potencialidades do país e vai fazer uma defesa enfática daquilo que estamos realizando no tocante à questão de meio ambiente ligado ao desenvolvimento sustentável".

Bolsonaro pesquisou os discursos dos presidentes brasileiros – que abrem a Assembleia Geral da ONU desde 1947 – e fez ajustes nos termos da fala em reunião com o filho indicado a embaixador Eduardo Bolsonaro e os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do gabinete de Segurança Institucional, general Heleno.

“Pode ter algum problema lá, mas vocês terão um presidente falando com coração, com patriotismo, defendendo a soberania nacional, que está ameaçada”, disse o presidente, prevendo embates com chefes de Estado dos países europeus sobre a crise ambiental na Amazônia.

Em função de restrições médicas, o presidente terá apenas três compromissos em Nova York. Além do discurso, Bolsonaro terá um encontro bilateral com o secretário-geral da ONU, António Guterres, e uma conversa com o presidente norte-americano, Donald Trump.

Na viagem, Bolsonaro será acompanhado da mulher, Michelle Bolsonaro, do filho Eduardo e dos ministros do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e do chanceler Ernesto Araújo.

Biocombustíveis

O presidente Jair Bolsonaro irá aproveitar a discussão mundial sobre meio ambiente e clima para promover o programa brasileiro de biocombustíveis, cuja defesa ficará concentrada no Ministério das Minas e Energia.

Está prevista uma série de reuniões com empresários e investidores do setor, a cargo do ministro Bento Albuquerque. Outros encontros bilaterais que estavam sendo organizados estão sendo coordenados pelo chanceler Ernesto Araújo.

Pontos moeda