Política

Euclério Sampaio será o relator do processo contra o Capitão Assumção na Assembleia

Deputado do PSL disse, durante discurso em plenário, que pagaria R$ 10 mil para quem matasse o responsável pelo assassinato de Maiara de Oliveira

Foto: Divulgação/Ales
Euclério Sampaio será o relator do processo contra o Capitão Assumção na Corregedoria da Ales

A Corregedoria-Geral da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) definiu que o deputado Euclério Sampaio (DC) será o relator do processo que apura uma possível quebra de decoro parlamentar por parte do Capitão Assumção (PSL). O pedido de investigação foi feito, no último dia 12, pela Procuradoria da Casa.

O deputado do PSL disse, durante discurso em plenário, no dia 11 de setembro, que pagaria uma recompensa de R$ 10 mil para quem matasse o responsável pelo assassinato da jovem Maiara de Oliveira, de 26 anos. Ela havia sido morta, na madrugada do mesmo dia, na frente da filha de 4 anos, em Cariacica.

De acordo com o corregedor-geral da Ales, deputado Hudson Leal (REPUBLICANOS), uma comissão especial de investigação foi criada para decidir se um processo disciplinar contra o Capitão Assumção deverá ou não ser instaurado. Além de Euclério, essa comissão é composta pelos deputados Torino Marques (PSL) e Rafael Favatto (PATRIOTA).

Na semana passada, Torino Marques chegou a ser cogitado para ser o relator do processo, mas ele acabou falando publicamente que não via quebra de decoro nas declarações de Assumção. Com isso, a escolha dele poderia causar vício nesse processo.

>> Redes sociais excluem discurso de deputado que usou tribuna da Assembleia para oferecer recompensa por crime

Hudson Leal também disse que, nos próximos dias, Capitão Assumção será notificado e terá um prazo de dez dias para se manifestar. Não há prazo estabelecido para finalizar a investigação. Caso seja condenado, o deputado do PSL pode até perder o mandato.

A reportagem entrou em contato com Euclério Sampaio, que disse apenas que vai começar a analisar o caso na semana que vem, quando retomará suas atividades como deputado. Euclério precisou se afastar temporariamente da Assembleia por problemas de saúde.

O discurso

O discurso do Capitão Assumção que resultou no processo foi transmitido pela TV Ales. Fardado e em tom ríspido, o deputado disse oferecer R$ 10 mil para quem matasse o responsável pelo assassinato de Maiara de Oliveira. O parlamentar frisou ainda que não bastaria mostrar a localização do suspeito morto, mas que a pessoa teria que levar o cadáver até ele para receber a recompensa.

“Quero ver quem vai correr atrás para prender esse vagabundo. (Eu tenho) R$ 10 mil reais aqui do meu bolso pra quem mandar matar esse vagabundo. Isso não merece tá vivo não. [...] Não vale dar onde ele está localizado não. Tem que entregar o cara morto, aí eu pago”, disse.

Na mesma fala, o deputado reclamou do que chamou de benefícios para os presidiários. "Vagabundo, que tira a vida de inocente e vai lá (para o presídio) ser beneficiado? Nos temos que tomar vergonha na cara e parar com esse discurso de que preso é gente boa. Preso foi lá porque ele fez maldade contra o cidadão. Essas desgraças não podem estar vivo. É um custo alto para o cidadão", completou.

Pontos moeda