Investimento de R$ 1 bilhão de Vitória deve gerar mais de 3,3 mil empregos. Veja as obras

Política

Investimento de R$ 1 bilhão de Vitória deve gerar mais de 3,3 mil empregos. Veja as obras

São vagas para trabalhos diretos e indiretos na construção de escolas, casas populares postos de saúde e infraestrutura

Foto: Divulgação / Diego Alves

O pacote de investimentos anunciado pela Prefeitura de Vitória vai movimentar o mercado de trabalho na capital capixaba. Reunindo todos os trabalhos e obras, está prevista a geração de 1.340 empregos diretos e 1.990 indiretos, totalizando 3.330 por ano.

Os investimentos alcançam o montante de R$ 1 bilhão, que será utilizado até 2024 para construção de novas escolas, unidades de habitação popular, postos de saúde, além de intervenções de macrodrenagem, mobilidade, infraestrutura e projetos de urbanização.

O chamado "Plano Vitória" prevê, na área da educação, a construção de creches nos bairros Redenção e Tabuazeiro e escolas no Centro e em São Benedito. Na área da saúde, serão construídas novas unidades em Grande Vitória, Santo Antônio e ampliação do posto de saúde em Jardim Camburi.

Veja as principais ações e investimentos

Educação

- início da obra para construção da nova sede do Cmei Geisla da Cruz, em Redenção
- retomada da obra para construção da nova sede do Cmei Jacy Alves Fraga, em Tabuazeiro
- retomada da obra para construção da nova sede da Emef São Vicente de Paulo, no Centro
- retomada da obra para construção da nova sede da Emef Paulo Roberto Vieira Gomes, em São Benedito
- investimentos nas Emes Adilson da Silva Castro (Ilha de de Monte Belo), Ronaldo Soares (Resistência), Francisco Lacerda de Aguiar (São Pedro) e Irmã Jacinta Soares (Romão)
- atualização tecnológica das unidades de ensino.

Equipamentos da área social/saúde

- Construção da Unidade de Saúde Grande Vitória
- Construção da Unidade de Saúde Santo Antônio
- Ampliação da Unidade de Saúde Jardim Camburi
- Restaurante Popular
- Cras, Creas e Centro de Atenção Psicossocial (Capsi)

Mobilidade e infraestrutura viária

- Reurbanização da Rua da Lama
- Reurbanização da Curva da Jurema
- Av. Marechal Campos
- Ciclovia Tancredão – Praça dos Namorados
- Reabilitações na malha viária
- Modernização do Parque Semafórico

Urbanização

- Projeto Orla Noroeste.

A fase inicial desse projeto é dividida em duas etapas. A primeira delas compreende os bairros São Pedro e Ilha das Caieiras. Quando a atual gestão assumiu, ainda havia a necessidade de várias entregas por parte da empresa executora dos projetos, entre elas a conclusão dos projetos estruturais, do Centro de Pescados e da conclusão do orçamento. A atual gestão concluiu o projeto para as intervenções no segmento, que incluem, entre outras intervenções, área para manutenção de barcos, queimador de marisco, praças e rua viva. A previsão é que o edital de obras seja publicado ainda neste ano.

Para a segunda etapa da primeira fase, que inclui os bairros Resistência, Conquista, Redenção e Nova Palestina, a previsão é que o edital para a contratação do projeto seja publicado também neste ano. A Orla Noroeste é uma região de alto potencial paisagístico, marcada pela presença da Baía de Vitória, de áreas especiais sob o ponto de vista ambiental e atividades de caráter cultural que envolvem comunidades locais: pesca, gastronomia e a fabricação de panelas de barro.

- Ligações intradomiciliares de esgoto
- Intervenções urbanísticas nas áreas de interesse social
- Adequações de acessibilidade nos morros

Habitação

- Residencial Consolação - Um edifício sustentável, com sistema para captura e reaproveitamento de águas de chuvas e energia fotovoltaica vai beneficiar 48 famílias que vivem em situação de vulnerabilidade em Vitória. Esse é o grande diferencial do Residencial Consolação, que terá, ao todo, oito pavimentos
- Residencial Santa Cecília - Localizado na tradicional esquina das avenidas República e Cleto Nunes, na região do Parque Moscoso, o edifício Santa Cecília está passando por obras de reforma e tem mais de 90% das intervenções concluídas. Ele será lar para 35 famílias, contempladas com o projeto Reassentamento.
- Reconstrução de casas
- Mercado da Capixaba - A PMV apresentou à sociedade civil o novo projeto de restauração do Mercado da Capixaba. Além do restauro das fachadas externa e interna e do telhado, o local ganhará elevador, ar-condicionado e iluminação pública. A Rua Araribóia será urbanizada e receberá serviços de drenagem, pavimentação e paisagismo.
- Centro de Inteligência Municipal (CIM) - Será um centro de comando estratégico e de ação coordenada do município, que terá a capacidade de mapear e monitorar, em tempo real, os pontos chave do território, 24 horas por dia, 7 dias da semana, de forma a garantir um melhor funcionamento e provisão dos serviços críticos, em situações de rotina, de emergência, bem como para planejamento através da inteligência e da análise dos dados na prevenção de eventos futuros e na mitigação de pontos de riscos potenciais com o objetivo de gerenciar eventuais situações de crise.

Drenagem e contenções

A Secretaria de Obras (Semob) realizou um levantamento com as demandas de macrodrenagem da cidade, incluindo instalação de galerias e reservatório, englobando os bairros Centro, Praia do Canto, Santa Luzia, Inhanguetá, Estrelinha, Universitário e Grande Vitória e Santo Antônio. A previsão é que o edital de obras para as intervenções seja publicado neste segundo semestre.

A Semob licitará, ainda neste semestre, a execução de serviços e obras de contenção de encosta nos setores de riscos geológicos Alto e Muito Alto. Foram definidos os pontos e as intervenções necessárias em áreas suscetíveis a escorregamentos de solo, queda e rolamento de blocos rochosos, onde há necessidade de execução de obras de contenção de encostas.

Parques, praças, equipamentos esportivos e culturais

- Modernização do Tancredão
- Restauro da Biblioteca Municipal
- Modernização dos Parques Municipais
- Construção de novos mirantes
- Construção e reforma de praças
- Reformas e ampliação de calçadas
- Quadras e campos esportivosEequ

Equipamentos e mobiliário

- Equipamentos de infraestrutura tecnológica
- Aquisição de computadores, notebooks e tablets
- Aquisição de veículos e equipamentos para a segurança pública
- Ampliação da rede de wi-fi livre
- Renovação de mobiliário, especialmente para a Educação e a Saúde

De acordo com o prefeito Lorenzo Pazolini, os recursos próprios são fruto de uma reforma fiscal e também administrativa. Ele destacou que, quando assumiu a gestão, a prefeitura possuía pouco menos de R$ 10 milhões em caixa. Cortou benefícios, reviu contratos e gastos e buscou alternativas para gerar receita.

"Era um grande desafio. Assumimos a gestão em 1º de janeiro e, a partir daí, nós fomos reorganizando, cortando onde era possível, reduzindo contratos, valores, mas sem deixar de prestar serviço à população. Fizemos uma grande repactuação com os fornecedores, reduzimos também os cargos em comissão em mais de 40%. Isso tudo nos deu essa economia, nos deu essa robustez e essa possibilidade de hoje discutir com a sociedade os investimentos de mais de R$ 1 bilhão", destacou o prefeito.