• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

China é contra julgamento da Coreia do Norte em Haia

Política

China é contra julgamento da Coreia do Norte em Haia

Pequim - A China se declarou nesta quinta-feira contra o plano de levar a Coreia do Norte à Corte Penal Internacional, em Haia. O posicionamento do país asiático na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) deve reduzir as chances do regime de Kim Jong Un passar por um escrutínio adicional em seus casos documentados de campos de prisioneiros, fome e execuções em massa.

O Comitê de Direitos Humanos da ONU avalia levar uma resolução ao Conselho de Segurança da entidade, num passo que pode marcar o maior esforço da comunidade global contra a Coreia do Norte. Entretanto, a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Hua Chunying, disse que o país acredita que a questão deve ser lidada com "diálogo e cooperação baseadas na igualdade e no respeito mútuo".

"Acreditamos que levar questões de Direitos Humanos à Corte Penal Internacional não ajudará a melhorar tais condições em um país", disse Hua numa coletiva de imprensa. A porta-voz não informou se a China irá utilizar o seu poder de veto no Conselho de Segurança, caso a questão ultrapasse a Assembleia Geral. O país já se valeu dessa prerrogativa por dez vezes, mas prefere eliminar questões espinhosas antes que elas cheguem à cúpula da ONU.

Apesar de demonstrar impaciência com as ameaças de Pyongyang, especialmente em relação ao desenvolvimento de armas nucleares, a China segue dando cobertura diplomática ao país. Especialistas chineses insistem que Pequim possui pouca influência sobre o vizinho, mas estrangeiros acreditam que o país teme que pressionar ou enfurecer a Coreia do Norte pode levar o país a atacar ou, pior, fazer com que o regime entre em colapso. Fonte: Associated Press.