Aécio pode ir ao plenário do Senado se defender, diz defesa do senador

Política

Aécio pode ir ao plenário do Senado se defender, diz defesa do senador

"Penso ser possível que ele faça sua própria defesa, pois isso não se confunde com o exercício do mandato. Trata-se apenas do exercício do direito de defesa que não lhe foi suprimido", disse Toron

Brasília - Afastado do mandato parlamentar por decisão do Supremo Tribunal Federal, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) poderá ir ao plenário do Senado se defender. Segundo seu advogado, Alberto Toron, embora a decisão do Supremo determine o afastamento do mandato, não se confunde com o seu direito de defesa.

"Penso ser possível que ele faça sua própria defesa, pois isso não se confunde com o exercício do mandato. Trata-se apenas do exercício do direito de defesa que não lhe foi suprimido", disse Toron.

A reportagem consultou a Mesa Diretora do Senado, que também entende não se tratar de desrespeito à decisão do Supremo uma eventual ida de Aécio ao Senado para se defender. A votação sobre a decisão que afastou o tucano e determinou o seu recolhimento noturno está marcada para ocorrer nesta terça-feira, 17.

A votação foi confirmada após o STF decidir, na semana passada, que cabe ao Legislativo dar aval a medidas cautelares impostas contra parlamentares. Para se livrar das restrições impostas pela Corte, Aécio precisa de ao menos 41 votos. No entendimento do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), é necessária a mesma quantidade de votos para manter a decisão.

A assessoria do senador não respondeu aos questionamentos da reportagem se ele pretende se defender pessoalmente no plenário.