Vereador de Jaguaré assume cargo de prefeito por 40 minutos, mas liminar derruba decisão

Política

Vereador de Jaguaré assume cargo de prefeito por 40 minutos, mas liminar derruba decisão

João Vanes ocupou o cargo por apenas 40 minutos, já que Ruberci conseguiu, através de seus advogados, entrar com uma liminar anulando a sessão que o afastava do poder.

O município de Jaguaré, no norte do Estado, viveu durante esta semana mais uma situação inusitada em virtude dos problemas políticos que o município atravessa. Em menos de 24 horas, a cidade teve dois prefeitos no comando da administração municipal, sendo que um deles ficou no cargo por menos de uma hora.

O imbróglio da vez envolveu o prefeito em exercício, Ruberci Casagrande (DEM), e o presidente da Câmara, João Vanes (SD). Ruberci teve seu mandato cassado pela Câmara Municipal na última quarta-feira (18) e, por conta dessa situação, viu João Vanes assumir o cargo na manhã de quinta-feira (19).

No entanto, Vanes ocupou o cargo por apenas 40 minutos, já que Ruberci conseguiu, através de seus advogados, entrar com uma liminar anulando a sessão que o afastava do poder.

Segundo o advogado do demista, o processo na Câmara está errado porque o prefeito não foi ouvido em nenhum momento. Ele é suspeito de utilizar veículos e máquinas oficiais em proveito próprio; comprar produtos e mercadorias sem licitação e em desacordo com o objeto do contrato; superfaturar compras de produto, entre outras denúncias.

Entenda

Somente em 2017, o município de Jaguaré já teve três prefeitos. Eleito ano passado com 7006 votos, ou 42,13% dos votos válidos, Rogério Feitani (PMN) foi afastado do cargo em abril, junto com outros cinco outros servidores, após o Ministério Público deflagrar a Operação Arremate - que investiga o fraudes em licitações e em processo seletivo para contratação de servidores públicos.

Com a saída de Feitani, o vice-prefeito Ruberci Casagrande assumiu o cargo. O terceiro a ocupar o posto no município - e que passou o menor tempo no cargo - foi João Vanes.