• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cid Gomes: é melhor ter uma base aliada mais enxuta

Política

Cid Gomes: é melhor ter uma base aliada mais enxuta

São Paulo - Terminando seu segundo mandato à frente do governo do Ceará, Cid Gomes (PROS) defendeu, em entrevista à revista Carta Capital, a criação de uma frente de esquerda e uma nova relação do governo com a base aliada. Para ele, o atual modelo de governança, criado durante o governo Lula, abre espaço para "chantagens" dos parlamentares da base. "O governo está escravo do PMDB, que se considera um partido essencial, quando eu penso que ele não tem essa bola toda. É melhor ter uma base mais enxuta, porém mais confiável", defende Cid, para quem o País enfrenta "um evidente problema de governabilidade".

Cid critica nominalmente o PMDB, mas faz questão de ressaltar que a prática de disputa com o governo não se limita aos parlamentares do partido. "Eduardo Cunha é uma caricatura dessa situação. Mas uma boa parte do PT, ao longo dos últimos anos, também aderiu à tese do poder pelo poder", diz. Na opinião do governador do Ceará, a presidente Dilma pode estimular um reordenamento da base, mas para isso precisa emitir sinais claros para que os partidos de esquerda se unam.

O governador diz que a relação que Dilma tem com o Congresso é diferente daquela que Lula estabeleceu porque o ex-presidente "não tinha remorso" e a sucessora tem. "Quando ela assumiu a Presidência, deu participação no governo para a base toda. Ao perceber posturas não republicanas no dia a dia, não aceitou. É o caso da Petrobras. Dilma está sofrendo por uma coisa que não tem responsabilidade. Ela apanha dos dois lados, de quem defende uma posição mais ética e de quem era beneficiário do esquema", disse o político.

A frente de esquerda defendida por Cid seria um movimento suprapartidário com a proposta de combater o fisiologismo. "No fundo, todo político, mesmo o mais escrachado fisiológico, acredita em alguma coisa. O desafio é despertar essa defesa ideológica de um Brasil ideal que cada um tem, e usá-la como um cimento para uma aliança", afirma.

Para Cid Gomes, ações como a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, podem ajudar a renovação de quadros políticos no País. O governador classificou a tarefa de criar uma frente de esquerda de "quixotesca" e disse que a presidente Dilma foi simpática à ideia.