Prisão de Delcídio pode atrasar apreciação do orçamento, diz presidente da CMO

Política

Prisão de Delcídio pode atrasar apreciação do orçamento, diz presidente da CMO

Redação Folha Vitória

Brasília - A presidente da Comissão Mista do Orçamento (CMO), senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), afirmou nesta quarta-feira, 25, que a prisão do líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), gera crise política e pode atrasar a apreciação no Congresso de projetos como o do Orçamento de 2016.

"É uma situação de crise, é uma crise política, você ter o líder do governo nessa situação inusitada", disse. Para a senadora, há um quadro de perplexidade geral, tanto que a sessão do Congresso prevista para hoje foi cancelada. "Isso evidentemente atrasa o processo de todos os debates importantes, sobretudo sobre o orçamento", ressaltou.

As afirmações foram feitas após reunião com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. No encontro, que teve a participação do relator geral do Orçamento de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), foram discutidas as receitas previstas para o ano que vem, como a repatriação de recursos de brasileiros no exterior.

Rose disse que há previsão que o relatório de receitas de 2016 seja apreciado pela CMO amanhã, às 10 horas. "Se não votarmos a receita amanhã, não tem como fazer o orçamento este ano", afirmou.

Também presente na reunião, o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) disse acreditar que o relatório de receita será votado somente na semana que vem. Para ele, há condições de votar o relatório final na CMO até o dia 16 de dezembro, dando condições de o Congresso aprovar o texto ainda neste ano.