Elogios e críticas na prestação de contas de Luciano na Câmara de Vitória

Política

Elogios e críticas na prestação de contas de Luciano na Câmara de Vitória

Entre as experiências exitosas da PMV, estava o programa do Gabinete Itinerante. Luciano Rezende citou ainda a operação tapa-buracos realizada em toda a cidade

Luciano ouviu cobranças dos vereadores durante prestação de contas. Foto: Divulgação/Câmara

O prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS),  esteve na Câmara Municipal e prestou contas de seu segundo ano de mandato nesta segunda-feira (29). Entre as realizações apresentadas, o chefe do Executivo apontou as ações feitas para melhorar a qualidade de vida da população. Houve muito elogios, mas também recebeu críticas do vereador Reinaldo Bolão (PT).

Entre as experiências exitosas, estava o programa do Gabinete Itinerante. Luciano Rezende citou ainda a operação tapa-buracos realizada em toda a cidade e a implantação do sistema de estacionamento rotativo nos bairros Praia do Canto e Centro.

O prefeito reconheceu a queda da arrecadação da cidade por conta do fim do Fundap, mas, em contrapartida, explicou que sua equipe buscou colocar em prática duas medidas compensatórias: Nota Vitória e o Refinanciamento de Dívidas.

“Constatamos o aumento na receita com a renegociação de contratos”, comemorou o prefeito. Já na área social, Luciano Rezende, mostrou, através de números, que houve uma redução drástica da presença de moradores de rua.

“Temos 732 pessoas registradas e fazemos o acompanhamento de todas elas”, explicou ele. Outro registro feito pelo prefeito da Capital foi o da reposição dos equipamentos para a Guarda Municipal. “Tivemos duas bases avançadas inauguradas: uma no Centro e outra em São Pedro”.

O prefeito apresentou o término das obras de alargamento da Ponte de Camburi, entregando um trecho de ciclovia, que fará parte da estrutura do BRT. “Vemos o uso da bicicleta não só para o lazer, mas também como meio de transporte”, destacou o prefeito.

O vereador Zezito Maio (PMDB) cobrou do prefeito a sanção ao projeto que põe fim ao fechamento dos supermercados aos domingos. “Vitória deve ser a única cidade do País, se não for do mundo, a não abrir supermercado aos domingos”, criticou o vereador.

Já o vereador Reinaldo Bolão cobrou do prefeito Luciano Rezendo o problema dos aparelhos de ginástica retirados de Maruípe, concurso para a área médica, controle da emissão de gases na atmosfera, ressocialização das pessoas em situação de rua e aumento de 30% na iluminação natalina.

Por conta de um bate-boca entre vereadores por causa do cumprimento do Regimento Interno, o vereador Reinaldo Bolão teve o microfone cortado e não ficou no plenário para ouvir as explicações do chefe do Executivo.

Quando o microfone do vereador Bolão foi cortado, outro vereador, Serjão (PSB), criticou a atitude tomada pela Mesa. “Acho lamentável que isto ocorra nesta Casa”.

O presidente da Câmara, Fabrício Gandini, rebateu dizendo que foi preciso tomar tal atitude para que se cumprisse o Regimento Interno.

Outros discursos e solicitações aconteceram por parte dos vereadores. Até mesmo o aliado Rogerinho Pimentel (PHS) fez cobranças ao prefeito em relação à categoria dos taxistas. O prefeito citou o reajuste de 8,5% na tarifa e elogiou o vereador pela contribuição.