Presidente da Kia sugere que veria com bons olhos eventual governo Temer

Política

Presidente da Kia sugere que veria com bons olhos eventual governo Temer

Na avaliação de Gandini, se houver uma mudança drástica no governo, seja qual for, os empresários vão reagir de forma positiva. "Ele vai acreditar que as coisas vão mudar"

Redação Folha Vitória
José Luiz Gandini preside a Kia Motors no Brasil Foto: Estadão Conteúdo

São Paulo - O presidente da Kia Motors no Brasil, José Luiz Gandini, sugeriu nesta terça-feira, 8, que veria com bons olhos um eventual governo comandado pelo vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP). "Eu sou fã do Temer e boto fé nele, acho que ele é um estadista, um cara com boas intenções", afirmou, depois de dizer que o País precisa de uma "mudança drástica" no governo, mas evitando se posicionar a favor ou contra o impeachment.

Na avaliação de Gandini, se houver uma mudança drástica no governo, seja qual for, os empresários vão reagir de forma positiva. "Ele vai acreditar que as coisas vão mudar", disse o executivo. "Qualquer mudança drástica no Brasil vai melhorar o cenário", continuou.

A Kia Motors compete no mercado brasileiro desde 2011, quando vendeu 77,1 mil veículos, seu maior nível até hoje. Para 2015, a previsão da montadora sul-coreana é de 16 mil vendas, queda de 30% sobre o volume do ano passado.

A expectativa é de que, em 2016, 21 mil unidades sejam vendidas, alta de 31% sobre o previsto para 2015. O avanço deverá ocorrer em razão do lançamento de modelos fabricados no México, o New Cerato e o New Rio.

O México mantém acordo bilateral com o Brasil, por meio do qual as importadoras de veículos podem importar com isenção de imposto de 35%, mecanismo válido para um teto de 4,8 mil unidades.