Presidente do Conselho de Ética diz que sessão relâmpago é culpa do regimento

Política

Presidente do Conselho de Ética diz que sessão relâmpago é culpa do regimento

Redação Folha Vitória

Brasília - O presidente do Conselho de Ética, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), culpou o regimento interno do Congresso pela rapidez da sessão da tarde desta quarta-feira, 2, que durou apenas meia hora.

Araújo disse que teve que interromper a sessão porque havia começado a Ordem do Dia do Congresso Nacional. Pela manhã, já sabendo que o Congresso realizaria sessão, o presidente do conselho disse que faria nesta tarde apenas as discussões prévias, deixando a votação do parecer pela continuidade do processo contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para a próxima semana. "Quando o Congresso Nacional estiver na Ordem do Dia, nenhuma comissão pode funcionar. Segui o regimento para que não seja impugnada esta sessão", afirmou.

Confrontado com a declaração dada pela manhã, quando já sabia que a sessão do Congresso estava convocada para as 12 horas - enquanto a do conselho estava prevista para as 14h30 -, Araújo disse que, naquele momento, acreditava que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), só começaria os trabalhos de fato mais tarde.

"Não contava que a ordem do dia ia começar às 14 horas. Não posso passar por cima do regimento", afirmou.

O presidente do Conselho de Ética disse que aliados de Cunha invocaram o regimento para encerrar a sessão. "Vieram deputados, invocaram o regimento e não pude fazer. Se tivesse comum acordo, eu ia ouvir deputado", afirmou, referindo-se aos seis parlamentares inscritos para falar antes da votação, que ficou marcada para terça-feira.