• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

China retoma laços com São Tomé e Príncipe, em mais uma vitória sobre Taiwan

Política

China retoma laços com São Tomé e Príncipe, em mais uma vitória sobre Taiwan

Pequim - A China e São Tomé e Príncipe oficialmente retomaram relações diplomáticas nesta segunda-feira, em um triunfo de Pequim sobre a rival Taiwan. A ilha africana havia rompido na semana passada relações diplomáticas com Taiwan.

O ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, e o ministro da mesma pasta de São Tomé, Urbino Botelho, firmaram memorando em cerimônia em Pequim. Wang disse que o restabelecimento das relações seria benéfico para as duas partes e que haverá intercâmbios em turismo, mídia e outras áreas.

O fato é uma vitória para Pequim, que considera Taiwan uma ilha que é parte de seu território. O regime chinês criticou o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, diante da possibilidade de que ele possa repensar a política dos EUA de aceitar a posição chinesa para a ilha.

Pequim e Taipé competem por aliados por boa parte das quase sete décadas desde o fim da guerra civil chinesa, em 1949, quando os nacionalistas derrotados fugiram pelo Estreito de Taiwan. A maioria do mundo não reconhece formalmente Taiwan, o que é uma condição para manter relações com a China. Após São Tomé romper relações na semana passada, apenas 21 países e governos, em sua maioria da América Latina e do Caribe, mantêm laços oficiais com Taiwan. O ministro das Relações Exteriores de Taiwan, David Lee, acusou na semana passada São Tomé de exigir "uma quantia astronômica de ajuda financeira" para manter as relações, sem especificar o valor.

São Tomé e Príncipe é uma ilha na costa da África central, com uma população de quase 200 mil habitantes. A empobrecida ex-colônia portuguesa depende fortemente de ajuda estrangeira. A China suspendeu as relações com São Tomé em 1997 após a ilha estabelecer laços diplomáticos com Taiwan.

Botelho disse que São Tomé desejava "consertar nossos erros do passado". O ministro afirmou que espera que mais empresas chinesas invistam no país e que mais turistas chineses visitem a ilha. Fonte: Associated Press.