• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ministro da Defesa diz que greve é ilegal e faz apelo para retorno da PM no ES

Política

Ministro da Defesa diz que greve é ilegal e faz apelo para retorno da PM no ES

O ministro Raul Jugmann disse que reconhece as reivindicações dos policiais capixabas, mas afirmou que a forma como eles encontraram para manifestar é “ilegal”

O ministro ainda fez um apelo aos policiais capixabas Foto: Fred Loureiro/ Secom-ES

O ministro da Defesa, Raul Jugmann, se pronunciou sobre a manifestação dos familiares e amigos da Polícia Militar no Espírito Santo, que resultou na paralisação do efetivo militar.

Em reunião no 38º Batalhão da Infantaria, em Vila Velha, ele disse que reconhece as reivindicações, mas afirmou que a forma que os familiares dos policiais capixabas encontraram para manifestar é “ilegal”.

“O limite da legitimidade da Justiça é a vida e proteção da sociedade. Não se pode aceitar nenhuma reivindicação que coloque em risco à sociedade. Quero dizer que, aqueles que são policiais, devem honrar o juramento. Querendo ou não, eles estão cumprindo com o aumento da criminalidade”, pontuou.

O ministro ainda fez um apelo aos policiais para que coloquem fim à paralisação.  “Fazemos um apelo aos bons policiais, praças, oficiais e comandantes, que honrem suas fardas, seu juramento, e venham para as ruas para defender o povo”.

Segundo ele, o governo federal dará total apoio às decisões do governo do estado para encerrar a paralisação. “Vamos assegurar de forma inflexível e determinada este apoio. As reivindicações são justas, mas o limite da legitimidade e da justiça da reivindicação é a vida, a proteção da sociedade. Não se pode aceitar nenhuma reivindicação que coloque em risco a sociedade. Isso é inaceitável e não será aceito”, afirmou.

Para o ministro, os policiais parados estão contribuindo para o aumento da criminalidade no estado. Segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo, foram registrados 137 homicídios desde sábado (4) até a manhã de hoje. “A determinação do presidente da República é de envolver os recursos necessários e o tempo necessário até a retomada da normalidade. Podem ter certeza: não vamos vacilar”.

 Ao todo, 3130 homens das forças nacionais e armadas atuam na segurança capixaba com três helicópteros, 180 carros e sete veículos blindados. O ministro ainda afirmou que não há prazo para que as forças permaneçam no estado.

Jungmann está acompanhado do ministro do Gabinete Institucional, general Sergio Etchegoyen; do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy; e do ministro interino da Justiça, José Levi. A comitiva seguiu para encontro com o governador do estado licenciado, Paulo Hartung, e o governador em exercício, César Colnago, na residência oficial do governo em Vila Velha.

Procurador-geral da República

Mais tarde, o ministro vai se reunir com o Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a comitiva do Governo Federal e os governadores licenciado, Paulo Hartung, e em exercício, César Colnago, para discutir sobre a crise na segurança pública.

O encontro está previsto para acontecer na residência oficial, na Praia da Costa, em Vila Velha.