Fratura de Estresse: conheça os sinais de alerta!

Maior pesadelo do atleta e do praticante de atividade física é a lesão. Quanto mais grave maior será o tempo necessário para a recuperação.

Nenhum praticante de esporte quer suspender seus treinos. Mas quando for necessário o tratamento podem ser eficazes, mais rápido, desde que identificada a fratura de estresse.

Quando você identificar uma dor nas pernas que começou depois de uma corrida, de um jogo de futebol no final de semana que era suportável, mas com o passar dos dias foi intensificando é sinal que algo não vai bem.

É momento de acender a luz vermelha. Como há disse em outras oportunidades a dor é um indicativo importante no corpo. Fique atento! Essa lesão pode ser grave!

Mas quando procurar ajuda médica especializada:

– Nos casos que se agrava quando você se exercita e mesmo quando estiver parado
– Inchaço na perna
– Dor importante ao toque em superfícies ósseas como canela e tornozelos são importantes indícios de fraturas de estresse.

Exames de imagens são necessários, em especial a ressonância magnética para diagnosticar, localizar ou até mesmo descartar a presença dessa patologia. O tratamento precoce e adequado serão fundamentais na cura e evitar consequências ainda mais graves como fraturas extensas, aumento da dor, incapacidades e cirurgias complexas.

A causa dessa condição médica esportiva é um desequilíbrio entre a degradação e a formação óssea. Os treinos diários e intensos levam a uma sobrecarga importante aos ossos demandando mais do que eles podem suportar, causando a fratura por estresse.

Exames de sangue para saber nível de cálcio, hormônios e vitamina D são importantes na avaliação da saúde óssea e devem fazer parte da investigação médica.

Essa condição necessita de um tratamento clinico para a consolidação da fratura. A utilização de campo magnético de alta potência apresenta resultados surpreendentes para essas lesões, pois essa energia altera as funções tecidos em especial as células ósseas e aumentam a formação do osso, consolidando as lesões presentes.

Quem tem dor, deve ter pressa. Em situações descritas acima, quanto mais rápida for a intervenção. Melhor prognóstico e menor nível de intervenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *