Saúde

Bloqueio do hormônio do crescimento estimula perda de peso

Bloqueio do GH pode ter uma utilidade terapêutica no tratamento da obesidade.

Larissa Agnez

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação
Descoberta do Instituto de Ciências Biomédicas abre precedente para estudos de novos tratamentos para a obesidade

O hormônio do crescimento (GH) é produzido pela glândula hipófise, sendo responsável por regular a estatura e o crescimento ósseo. Mas uma descoberta do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP talvez faça não apenas esse hormônio mudar de nome, como também seja preciso atualizar os livros didáticos de fisiologia. Os cientistas constataram que o GH também é responsável por ativar um grupo de neurônios do hipotálamo chamado AgRP, que controlam a ingestão alimentar e o gasto energético.

Nos experimentos com camundongos, diante da restrição alimentar, o organismo dos animais do grupo controle sofreu uma série de alterações metabólicas e endócrinas para economizar energia. Os animais sem receptores de GH nos neurônios AgRP não entraram nesse “modo econômico” e, com isso, perderam mais peso e gordura corporal.

Esses achados abrem um precedente para que o bloqueio do GH possa ter uma utilidade terapêutica no tratamento da obesidade. “A longo prazo, nossos achados podem estimular a realização de mais pesquisas para o desenvolvimento de compostos ou drogas com o objetivo de otimizar a perda de peso”, afirma o professor José Donato Júnior, do Departamento de Fisiologia e Biofísica, um dos autores do estudo.

“Descobrimos que mais de 90% dos neurônios AgRP expressam receptores de GH”, conta Donato Junior. Sentir fome é uma sensação que vem de sinais emitidos pelo cérebro, que sabe que a pessoa está sem comer pois algum hormônio deu esse sinal para ele: o GH é esse sinal.

*Com informações da USP 

Pontos moeda