• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Saiba como fazer os primeiros socorros em situações de emergência do dia a dia

Saúde

Saiba como fazer os primeiros socorros em situações de emergência do dia a dia

Engasgo, fratura, febre, cortes e queimaduras são as situações mais comuns, que devem ser tratadas nos hospital, mas precisam de um primeiro atendimento, mesmo que leigo.

Foto: Divulgação / Pexel
Manobra de Heimlich. Utilizada para desengasgar uma pessoa. 

Você já se deparou com situações de emergência, quando, por exemplo, um parente ou amigo próximo se engasga, ou sofre uma fratura, ou tem algum corte profundo?! Nessas horas a principal orientação é buscar ajuda médica. Mas antes do encaminhamento, você pode ajudar com os primeiros socorros básicos que podem ser feitos também por quem não é especialista.

As dicas abaixo são do médico coordenador do Pronto-Socorro da Santa Casa, Marcelo Gomes. Saiba o que fazem em cada caso. 

1- Engasgo:

Não deve-se bater nas costas de uma pessoa adulta engasgada. Nestes casos usa-se a Manobra de Heimlich, que consiste em juntar as duas mãos e com elas fechadas fazer uma pressão de forma rápida na altura do estômago e repetir até que a mesma consiga colocar para fora o que lhe estava engasgando.

Todavia, em crianças de colo é necessário coloca-la deitada com o peito sobre a mão de quem estiver prestando o socorro, colocar a cabeça da criança mais baixo que seu corpo e dar uns "tapinhas" nas costas.

2- Imobilização em caso de fratura de algum membro:

Neste caso deve-se procurar estabilizar (imobilizar) a fratura até que a pessoa seja levada para o hospital. Pode ser colocada qualquer substância rígida nos lados do membro fraturado, envolver com atadura ou um pano e levar a pessoa o mais rápido possível para atendimento médico. O objetivo é fazer com que o osso fraturado fique imóvel ou o mais perto disso, porque quanto menos se mexer, menos dor a pessoa vai sentir.

3- Corte profundo:

Os cortes têm dois problemas que precisam ser corrigidos. Um é conter a hemorragia, quando houver. Para isso deve-se pressionar o ferimento com um pano limpo (gaze, camisa, toalha) até parar o sangramento. O outro problema é a contaminação que pode ocorrer com o ferimento, isso porque quando há uma lesão na pele, essa lesão se torna uma "porta aberta" para entrada de bactérias. Sendo assim, é importante lavar o máximo possível com água e sabão, fechar com curativo e lavar a pessoa o mais rápido possível para um hospital. Nunca devemos colocar pó de café, teia de aranha, açúcar para estancar o sangramento. Apenas pressione a lesão com um pano limpo.

4- Queimadura:

Em caso de queimaduras, precisamos identificar o agente causador. Se for queimadura solar é aconselhável apenas lavar com água corrente e procurar atendimento médico. Se for uma queimadura causada por substância química ou fogo direto, primeiro é preciso afastar a pessoa do contato com o produto ou o fogo que está causando a queimadura, lavar com água abundante em temperatura ambiente, envolver a lesão com gaze ou outro pano molhado com soro fisiológico ou água mesmo e levar a pessoa para atendimento médico urgente. Nunca coloque nenhum tipo de produto antes da avaliação médica, tais como: manteiga, pasta de dente, água sanitária, cremes, etc. É proibido também estourar as bolhas quando existirem. Depois da primeira ação de socorro, deve-se lavar a pessoa o mais rápido possível para o hospital.

5- Afogamento:

Em caso de afogamento, deve-se avaliar se a vítima está respirando e com o coração batendo. Podemos perceber se a vítima está respirando com a movimentação do tórax, ouvindo o som do ar entrando e saindo pelas narinas e sentindo o ar entrando e saindo aproximando-se do nariz da pessoa afogada.

Ver, ouvir e sentir, essa é a forma de avaliarmos a respiração. Para ver se o coração está batendo, precisamos procurar sentir alguma artéria. Os locais mais fáceis para isso são no pulso (numa linha imaginária que se prolonga do dedão), pescoço (ao lado da traqueia) e na virilha. Se a pessoa não estiver respirando, deve-se fazer a "respiração boca a boca". Para essa manobra normalmente são usados equipamentos que evitam o contato direto com a vítima, já que algumas doenças podem ser adquiridas pelo contato físico. Se não possuírem estes equipamentos é indicado que se faça o procedimento apenas se for uma pessoa conhecida e que quem estiver prestando o socorro esteja certa de que a vítima não tenha nenhuma doença contagiosa.

Se for identificado que o coração não está batendo, é necessário iniciar as massagens cardíacas, que devem ser feitas 30 compressões (afundar o peito 5cm e com uma frequência de 100 batimentos por minuto) até que chegue o resgate. O resgate que atende a cidade (SAMU, Bombeiros ou Resgate Municipal) deve sempre ser acionado em caso de afogamento. As manobras que estiverem sendo feitas ao afogado devem permanecer até que chegue a equipe de resgate.

6- Desmaio ou convulsão:

Em casos de desmaio, quem estiver prestando o socorro deve avaliar se a pessoa desmaiada está respirando e com o coração batendo. Se estiver, a coloque deitada sobre seu lado esquerdo e tente fazer a pessoa "acordar" e leve-a imediatamente para um hospital. Se for crise convulsiva, a pessoa deve ser colocada deitada sobre seu lado esquerdo, aguardar a crise convulsiva terminar e levar a pessoa para atendimento, isso se a crise durar até 5 minutos, se passar desse tempo deve ser lavada para um atendimento de urgência e emergência o mais rápido possível.

7- Febre muito alta:

A febre é uma alteração comum na maioria das doenças. Normalmente não é grave. Em caso de crianças pequenas de colo, pode levar a crise convulsiva. A temperatura normal pode variar entre 36 – 37,5°C. Deve ser dada medicação antitérmica (para baixar a temperatura) apenas quando a temperatura estiver 37,8°C ou mais. Junto com a medicação pode-se também dar banho em temperatura ambiente ou colocar compressas geladas nas axilas, região frontal (testa) e virilha. Também é importante levar a pessoa para avaliação médica para investigar a origem da febre.

8- Batida forte na cabeça:

Nos casos de batida forte na cabeça é necessário avaliar o estado neurológico do acidentado, e isso é possível vendo se o mesmo sofreu vômito, desmaio ou alteração do nível de consciência (falar palavras confusas). É importante também avaliar as pupilas, essa avaliação é um pouco mais difícil, mas quando possível, ajuda muito. Pupila é a parte central do olho (a bolinha preta). As pupilas dos dois olhos devem estar do mesmo tamanho, quando estão de tamanho diferente pode indicar uma lesão neurológica.

9- Uma criança após engolir um objeto ou colocá-lo no nariz:

Se uma criança engolir algum objeto, normalmente se espera sair junto com as fezes, entretanto, sempre deve ser avaliado por um médico para acompanhar a evolução. Em caso de a criança colocar o objeto no nariz, a criança deve ser levada a um serviço de urgência e emergência.

10- Algum inseto na ouvido:

Em caso de algum inseto entrar no ouvido e estiver visível, pode ser tentado retirar com uma pinça. Caso não esteja ao alcance da visão do adulto que estiver vendo, a pessoa deve ser levada imediatamente para atendimento.