Mais de 13 mil doses em campanha de vacinação contra gripe em Guarapari

Saúde

Mais de 13 mil doses em campanha de vacinação contra gripe em Guarapari

A imunização acontece em todo o Brasil e a meta do município é de atingir 90% do público-alvo.

Carolina Brasil

Redação Folha da Cidade
Foto: Divulgação
O público-alvo da vacina inclui pessoas com idade a partir de 60 anos. 

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começa nessa quarta-feira (10). A ação é destinada ao público-alvo de crianças de um a menores de seis anos de idade (até 5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas até 45 dias após o parto, pessoas a partir dos 60 anos, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, pessoas com doenças crônicas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A vacinação segue até o dia 31 de maio.

Guarapari

De acordo com a Prefeitura, o município recebeu 13.560 para a campanha que estarão disponíveis em todas as Unidades de Saúde, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h. Moradores de Santa Mônica devem se dirigir à US de Perocão. A meta de vacinação estabelecida para Guarapari é de 90%. O Município ressalta a importância de apresentar documento pessoal com foto, cartão do SUS e caderneta de vacinação.

Dia D

Para o dia 4 de maio, sábado, está marcado o dia “D” de mobilização nacional. Nesse dia, todas as unidades de Guarapari estarão abertas para vacinação. A Secretaria Municipal de Saúde também estará com um posto volante em atendimento no bairro Santa Mônica.

Mudanças

Com relação ao ano passado, a vacina sofreu alterações na composição. Em razão disso, é imprescindível receber a vacina em 2019 com as cepas preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para o Hemisfério Sul.

Orientações

De acordo com o Ministério da Saúde, os indivíduos que apresentem sintomas de gripe devem: evitar sair de casa durante o período de transmissão da doença (até sete dias após o início dos sintomas); restringir ambiente de trabalho para evitar disseminação; evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados; e adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

O órgão também sugere recomendações para prevenir a doença como a constante lavagem das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento, e a adoção da etiqueta respiratória, que consiste em espirrar na parte de dentro dos cotovelos e cobrir a boca ao tossir, visando à redução do risco de infecção pelo vírus. Também não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. É importante alertar para sinais e sintomas de gravidade para a busca imediata de avaliação em uma unidade de saúde.