Não é filme! Robô faz cirurgia no Espírito Santo

Saúde

Não é filme! Robô faz cirurgia no Espírito Santo

Uma operação para retirada de câncer de próstata foi realizada na manhã desta segunda-feira (20), no Hospital Santa Rita, em Vitória

Foto: Divulgação Hospital Santa Rita
O paciente tem 63 anos e, durante a operação, ainda contou com a equipe de cirurgia urológica, e agora robótica, do Hospital Santa Rita

Uma das maiores inovações do século e que, até ontem, só estava no imaginário de quem curte filmes de ficção, chegou ao Espírito Santo na manhã desta segunda-feira (20). Um robô realizou uma cirurgia para a retirada de câncer de próstata na Grande Vitória. Esta foi a primeira operação robótica realizada no Estado.

O procedimento aconteceu no Hospital Santa Rita, localizado em Maruípe, Vitória, às 8 horas, utilizando o robô Da Vinci Xi - sistema cirúrgico mais moderno do segmento do mundo, segundo informações da assessoria de imprensa da unidade hospitalar. 

O paciente tem 63 anos e, durante a operação, ainda contou com a equipe de cirurgia urológica, e agora robótica, do Hospital Santa Rita. O homem que passou pelo procedimento passa bem e a previsão é que fique sob os cuidados médicos durante as próximas 24 horas. 

O procedimento foi realizado pelos médicos Sérgio Riguete Zacchi, Marcelo Lamy de Miranda e coordenado pelo especialista em cirurgia robótica, o urologista Rafael Coelho, que veio de São Paulo exclusivamente para participar desse momento tão importante para a medicina capixaba.

Entre os benefícios para o paciente estão menor perda sanguínea durante o procedimento cirúrgico, menos dor e desconforto no pós-operatório, menor risco de infecção e previsão de retorno precoce à função normal.

Em meio à pandemia da covid-19, em que apenas procedimentos inadiáveis devem ser realizados, a cirurgia robótica se fez presente no Espírito Santo, beneficiando paciente oncológico, em que o tempo nesse tipo de tratamento faz toda a diferença.

O diferencial do Da Vinci Xi

A inovação desse sistema cirúrgico está nas imagens em 3D HD e visão magnificada, além de o robô possuir quatro braços de longo alcance. A articulação dos instrumentos possui movimentos de rotação e angulação melhores que da própria mão humana e com tecnologias de filtro de tremores e movimentos intuitivos, permitindo ao cirurgião operar com movimentos totalmente precisos e naturais.

A cirurgia utilizando essa plataforma robótica, esclarece o urologista e também diretor Clínico do Hospital Santa Rita, Alexandre Tironi, torna-se altamente sofisticada, pois permite a execução de cirurgias complexas utilizando-se de procedimentos minimamente invasivos.

“O robô possui controle ergonômico, quatro braços robóticos que atuam diretamente no paciente e um sistema de vídeo de alto desempenho. Os movimentos realizados no controle ergonômico são filtrados de qualquer tipo de tremor natural do ser humano e traduz todo o movimento feito pelas mãos do cirurgião em movimentos mais precisos e com amplitude ainda maior do que a capacidade da mão humana”, reforça Tironi.

Ele acrescenta que, diferentemente da cirurgia convencional, com o Da Vinci Xi a anatomia aparece com alta definição, em cores brilhantes e com profundidade de campo original e magnificação em até 10 vezes. Para realizar o procedimento, o cirurgião utiliza o controle ergonômico para manipular até quatro braços robóticos e a câmera de alta definição. Além disso, o da Vinci aumenta a eficiência e a segurança da cirurgia.

Conquista

De acordo com a presidente da Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc-Hospital Santa Rita), Marilucia Dalla, o novo equipamento, recém instalado no Hospital “é uma grande conquista para o Santa Rita, colaboradores, corpo clínico e, principalmente, para os nossos pacientes”, reforça.

O diretor Geral do Hospital, Carlos Clayton Lobato, acrescenta que o Da Vinci Xi, comprado pelo Santa Rita em dezembro de 2019, foi instalado no Centro Robótico do Hospital no dia 31 de março, data em que o Santa Rita completou 50 anos.

“Foi uma grande aquisição para a nossa instituição hospitalar para ser utilizado em todas as cirurgias que as equipes médicas considerarem o uso do robô o mais adequado, além de ser um grande salto tecnológico e assistencial para o Espírito Santo. Começamos com a cirurgia de câncer de próstata e muitas outras virão!”, finaliza Lobato. A cirurgia robótica ainda não é coberta pelo SUS.